Polícia

Mais de mil criminosos estão fora dos presídios, diz Sinpoljuspi

Segundo o Sinpoljuspi, atualmente o déficit de vagas do sistema prisional do Estado é de 2.500 vagas.

LUCAS MARREIROS

- atualizado

Cerca de 1.200 criminosos estão fora do sistema prisional no Piauí. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), esse total é dividido em número de criminosos com mandado de prisão em aberto e número de detentos que são fugitivos ou foragidos.

Para o vice-presidente do sindicado, Kleiton Holanda, o número é crítico e o anúncio da inauguração da Casa de Detenção de Campo Maior, que terá capacidade para 160 vagas e está prevista ainda para este semestre, não vai resolver a situação.

“Se contarmos 600 mandados de prisão em aberto e 600 presos fugitivos ou foragidos seriam preciso 3.700 vagas seriam necessárias para hoje. A abertura de 160 não é suficiente, esse novo presídio não está sendo aberto para dar folga a nenhum presídio, só para atender metade das delegacias que estão lotadas”, informou Kleiton Holanda.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Kleiton HolandaKleiton Holanda

Segundo o Sinpoljuspi, atualmente o déficit de vagas do sistema prisional do Estado é de 2.500 vagas e a abertura da nova unidade atenderia a apenas cerca de 10 a 12% desse total. “O sistema carcerário do Piauí ainda é precário. É com tristeza que vemos a situação do jeito que está. Entregamos um relatório para a Secretaria de Justiça em 2015 e sequer foi feito 10% do que precisava”, explicou Kleiton Holanda.

A Secretaria da Justiça do Piauí (Sejus) afirma que a superlotação dos presídios é uma realidade que afeta o sistema penitenciário de todo o país e que está ampliando a capacidade de lotação do sistema prisional, reformando e construindo novas unidades penitenciárias, com o objetivo de reduzir o excedente prisional.

Além da Casa de Detenção de Campo Maior, a Sejus anuncia a abertura de outras unidades como da Cadeia Pública de Altos (600 vagas), prevista para ser entregue até 2018, e a Central de Triagem de Teresina, com 160 vagas, que está em fase de conclusão.

Outras unidades estão em fase de projeto, como as novas penitenciárias de Oeiras (196 vagas) e Bom Princípio (334 vagas). A Secretaria da Justiça afirma também que está ampliando vagas nas penitenciárias de Picos (70) e na Irmão Guido, em Teresina (50 vagas).

“Trabalhamos em duas frentes, uma com novos presídios e ampliando os já existentes, e outra com as instituições do sistema de justiça, efetivando medidas que reduzam a superlotação existente e o índice de encarceramento”, pontuou o secretário da Justiça, Daniel Oliveira.

MAIS NA WEB