Política

Marta Suplicy recusa convite para o Ministério da Cultura

Pessoas próximas a Marta dizem que os motivos de sua recusa são os mesmos usados por Andrade no pedido de demissão, que seria a redução de pessoal e corte de verbas.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

A senadora Marta Suplicy (PMSB-SP), rejeitou o convite do governo para assumir o Ministério da Cultura. Marta, que já foi ministra da pasta durante o governo de Dilma Rousseff, havia sido sondada semanas atrás para ficar no cargo. Segundo a Veja, o convite feito a Marta seria uma tentativa de fazer agrado ao PMDB, que quer mais um ministério depois da demissão de Osmar Serraglio da Justiça para dar lugar a Torquato Jardim.

Nessa sexta-feira (16), o ministro interino da pasta, João Batista de Andrade enviou uma carta ao presidente Michel Temer pedindo demissão do cargo, sob o argumento de que a pasta ficou “inviável” e que há uma “deterioração” do ambiente político. Este é o terceiro a deixar o comando do Ministério da Cultura em um ano de governo Temer.

  • Foto: Gervásio Baptista/Agência BrasilMarta SuplicyMarta Suplicy

Pessoas próximas a Marta dizem que os motivos de sua recusa são os mesmos usados por Andrade no pedido de demissão, que seria a redução de pessoal e corte de verbas.

De acordo com interlocutores da senadora, o corte de pessoal feito ainda na gestão de Marcelo Calero e o contingenciamento de 43% do orçamento da Cultura inviabilizaram a gestão da pasta.

O Planalto não tinha intenção de efetivar o ministro interino da Cultura, João Batista de Andrade, no cargo, em retaliação ao fato de Roberto Freire, titular anterior, ter saído e cobrado a renúncia de Temer, após a delação do empresário Joesley Batista, um dos acionistas da J&F. Os dois são filiados ao PPS.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB