Piauí - Teresina

Médico faz denúncia contra diretoria da Unimed Teresina

A assessoria da Unimed se manifestou por meio de nota sobre as denúncias, onde negou as irregularidades e acrescentou que "estes cooperados procuram desqualificar a gestão atual”.

JOCIARA LUZ

- atualizado

Médicos cooperados ao Grupo Unimed em Teresina, que compõe o plano de Saúde Unimed e os Hospitais Unimed Ilhotas e Unimed Primavera, acusam a diretoria executiva do grupo de diversas irregularidades, como malversação dos recursos da cooperativa. Os profissionais ainda pedem a destituição da equipe que forma a diretoria, presidida por Leonardo Eulálio.

Em entrevista ao GP1 na tarde desta quinta-feira (17), um dos médicos cooperados à Unimed, que preferiu não se identificar, afirmou que a investigação teve início após a diretoria executiva do grupo tentar modificar o regimento interno para poder disputar um terceiro mandato. “Tudo começou porque essa diretoria atual já tem dois mandatos e eles queriam fazer uma assembleia para modificar o estatuto para continuar lá o tempo todo. Alguns cooperados rejeitaram essa ‘re-reeleição’ e começamos a investigar o que esses diretores estavam fazendo para querer tanto continuar no poder. E começaram a aparecer as irregularidades”, explicou.

  • Foto: Facebook/UnimedUnimed TeresinaUnimed Teresina

Dentre as irregularidades apontadas pelo denunciante estão: superfaturamento de reforma, aquisição de terrenos com preço acima do valor de mercado, credenciamento de clínica sem médico cooperado integrado ao seu quadro, descapitalização da receita líquida aplicada em banco e o lançamento de um relatório de gestão com dados mascarados.

O médico ainda aponta problemas na obra de reforma do Hospital Unimed Primavera. De acordo com a denúncia, apenas após a compra do prédio foi observado que o terreno em questão não possuía escritura, o que impedia que a posse do imóvel fosse repassada ao grupo. “Fomos atrás de quem eram os donos dos terrenos, vimos que boa parte do terreno não tinha escritura para ser passada para a Unimed, só dois ou três tinham e já foi passado, os outros ainda estão em fase de regularização. Então a Unimed comprou um hospital e esse hospital que ela reformou não tinha escritura, eram terrenos irregulares. Inclusive tem um lote, de 30m² que ninguém sabe quem é o dono, porque eles não apresentaram a escritura desse terreno”, contou o médico.

O denunciante declarou que a empresa contratada para realizar a reforma do hospital é de pequeno porte e não teria condições de realizar uma obra de tamanho porte. Ele também afirmou que um dos sócios de tal construtora possui ligação direta com um cunhado do Dr. Leonardo Eulálio, o que, segundo ele, aponta que houve irregularidades na contratação. “Foi contratada uma empresa Concretec, eles dizem que foi contratada por meio de licitação em que participaram outras duas empresas e ela foi contratada porque teve o melhor preço. Só que a Concretec não tem uma estrutura física para a obra que foi encomendada. A obra por um todo saiu por mais ou menos R$ 9 milhões e o padrão da empresa não mostra isso, eu tenho fotos que mostram a fachada da empresa e não tem ninguém lá dentro. Agora as duas pessoas que são gerentes dessa empresa, uma delas tem sociedade próxima com o Gustavo Xavier, cunhado do Dr. Leonardo Eulálio, que é o presidente da Unimed Piauí”, disse.

Após apresentar as irregularidades aos demais cooperados, foi deliberado em assembleia que seria realizada uma “minuciosa auditoria” na empresa. Os documentos que apontavam as falhas foram entregues para o Conselho Fiscal do Grupo, que segundo o médico denunciante, também encontrou irregularidades. Ainda foi constatado, que a atual administração da Unimed Teresina encolheu os rendimentos anuais de aplicação de R$ 17 milhões para R$ 300 mil.

Amparado nestas constatações, o Conselho Fiscal da Unimed Teresina marcou Assembleia Geral para o dia 23 de novembro, ocasião em que será solicitada a destituição da atual diretoria. Durante o encontro devem ser analisados os procedimentos de aquisição das instalações, dos equipamentos e dos imóveis onde está edificado o Hospital Unimed Primavera; os procedimentos de contratação e execução dos serviços de reforma do referido hospital e, por fim, a discussão e deliberação acerca da destituição dos membros da atual Diretoria Executiva.

Diretoria executiva

A diretoria executiva do Grupo Unimed se manifestou por meio de nota sobre as denúncias, onde nega as irregularidades apontadas pelos denunciantes. “Alguns cooperados politizaram ações da gestão atual, eleita em 2014. Gestão que nos últimos 30 meses produziu resultados positivos inquestionáveis para cada um dos indivíduos cooperados. Estamos diante de um cenário onde a perda de volume de negócios com a Unimed Teresina, por empresas pertencentes a cooperados, motiva os questionamentos dirigidos à cooperativa, apresentados sob suposições, onde estes cooperados procuram desqualificar a gestão atual”, diz a nota.

A diretoria citou a denúncia de irregularidade na contratação da empresa responsável para reforma do Hospital Unimed Primavera e afirmou que as empresas envolvidas na obra foram contratadas sob forma de proposta de preços (licitação). A nota ainda ressalta que “durante a execução a obra foi auditada por empresa externa independente, que gerou ganhos para a cooperativa”. Em relação aos terrenos sem escritura, a diretoria afirmou que as transferências definitivas ocorrerão “dentro de pouco tempo”.

Por fim, a diretoria ainda faz um pedido aos médicos que compõem a Unimed: “Avalie a cooperativa que você tem hoje e questione se esse grupo que se volta contra a administração representa a sua opinião”.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Médico faz denúncia contra diretoria da Unimed Teresina
http://www.gp1.com.br/noticias/medico-faz-denuncia-contra-diretoria-da-unimed-teresina-404549.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.