Política

Michel Temer não deve interferir no diálogo PT e PMDB no Piauí

"Não conversei com o presidente Michel Temer, mas não acredito em interferência no PMDB local”, disse o ex-ministro Joáo Henrique Sousa.

GERMANA CHAVES

- atualizado

Na opinião do presidente do Sistema Sesi, o ex-ministro João Henrique de Almeida Sousa, o Governo Federal deverá interpretar a possível entrada do PMDB no Governo Wellington Dias (PT) como uma manifestação isolada e não do partido como um todo. Apesar de afirmar que não esteve com o presidente Michel Temer, após a intensificação dessas conversações no Piauí, João Henrique não acredita em uma interferência nacional no cenário estadual.

  • Foto: Lucas Dias/GP1João HenriqueJoão Henrique

“Acho que o Governo Temer verá [essa aproximação] com os olhos que eu vejo. Vai interpretar que não é uma incorporação do PMDB ao Governo local, porque como eu já havia dito, não houve convenção. Portanto, é uma manifestação pessoal de cada parlamentar. Não conversei com o presidente Michel Temer, mas não acredito em interferência no PMDB local”, disse o ex-ministro.

Em entrevista concedida ao GP1,João Henrique foi bem claro quanto ao seu posicionamento a respeito dessa ligação PT/PMDB. Ele ressaltou que não poderia “me entusiasmar para participar de um governo que daqui a pouco eu vou combater” ao reafirmar o desejo que o partido lance candidato próprio na disputa pelo comando do Palácio de Karnak em 2018.