Política

Michel Temer se nega a responder perguntas da Polícia Federal

emer alegou que a Polícia Federal extrapolou o objeto da ação para fazer perguntas de caráter pessoal e outras com o objetivo de comprometê-lo.

BRUNNO SUÊNIO

- atualizado

O presidente Michel Temer (PMDB) decidiu não responder aos 82 questionamentos feitos pela Polícia Federal no inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva, obstrução de Justiça e pertencimento a organização criminosa. O prazo dado pelo ministro Edson Fachin terminou hoje.

Temer alegou que a Polícia Federal extrapolou o objeto da ação para fazer perguntas de caráter pessoal e outras com o objetivo de comprometê-lo. No documento, o presidente pedido o arquivamento do inquérito.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoMichel TemerMichel Temer

O advogado Antonio Claudio Mariz de Oliveira afirmou: “Cumpre inicialmente ponderar que, houvesse Vossa Excelência [Fachin] sido o autor dos questionamentos feitos por escrito ou em colheita de depoimento oral, teria havido, com certeza, uma adequada limitação das perguntas ao objeto das investigações. Indagações de natureza pessoal e opinativa, assim como outras referentes aos relacionamentos entre terceiras pessoas ou aquelas que partem de hipóteses ou de suposições e dizem respeito a eventos futuros e incertos não teriam sido formuladas. No entanto, foram feitas e demonstram que a autoridade mais do que preocupada em esclarecer a verdade dos fatos desejou comprometer o Sr. Presidente da República com questionamentos por si só denotadores da falta de isenção e de imparcialidade por parte dos investigadores”.

Clique aqui e veja a íntegra do documento enviado ao STF

MAIS NA WEB