Ciência e Tecnologia

Ministério adota mais critérios para diagnosticar danos por zika

Governo recomenda que seja feito um segundo ultrassom no 7º mês de gestação.

NAYRANA MEIRELES

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (18), que agora vai levar em conta critérios como perda de visão, audição, comprometimento e deficiência de membros para avaliar se uma criança tem danos de desenvolvimento provocados pelo vírus da zika.

De acordo com informações do G1, a nova medida foi tomada com base em evidências científicas de que mesmo crianças com tamanho de cabeça dentro dos parâmetros “normais” podem apresentar consequências do vírus. De acordo com a pasta, o objetivo é garantir cuidado a todas as crianças, inclusive as que apresentarem alterações tardias.

"A criança pode ter um perímetro encefálico maior e pode sofrer efeitos do zika. Não necessariamente a redução do perímetro encefálico aponta o dano do cérebro. É essa nova possibilidade que vamos acompanhar com as crianças e vai nos fazer se preocupar em ver a relação causa-efeito sobre eventuais incidências que ocorram com a criança e que tenham ou não relação com o zika pela mãe", afirmou o ministro Ricardo Barros.

  • Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão ConteúdoRicardo BarrosRicardo Barros

Além disso, o governo também passa a recomendar um segundo ultrassom no sétimo mês de gravidez. Hoje, o exame já é realizado no primeiro mês de gestação, mas, segundo o ministério, é preciso identificar possíveis malformações na etapa final da gestação, atendendo a orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Para que os exames possam ser realizados, o ministro anuncio a liberação de repasses mensais aos estados para que a rede pública realize essa segunda ultrassonografia. A estimativa é que o governo gaste até R$ 52,6 milhões por ano com este exame.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Ministério adota mais critérios para diagnosticar danos por zika
http://www.gp1.com.br/noticias/ministerio-adota-mais-criterios-para-diagnosticar-danos-por-zika-404595.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.