Política

Ministério Público pede prisão da mulher de Eduardo Cunha

O pedido do MPF é baseado em cinco fatos, todos ligados à manutenção de dinheiro não declarado no exterior.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

O Ministério Público Federal solicitou ao juiz federal, Sérgio Moro, a prisão da jornalista e mulher do ex-deputado Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, pelos crimes de lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro. O MPF quer que Cláudia comece a cumprir a pena em regime fechado. Nas próximas semanas, o juiz Moro deverá anunciar sua sentença no processo em que Cláudia e o ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada são réus.

O pedido do MPF é baseado em cinco fatos, todos ligados à manutenção de dinheiro não declarado no exterior. Cláudia sempre negou que tinha conhecimento das movimentações ilegais do marido na Suíça, mas não convenceu os procuradores. “É claro que Cláudia Cruz, pessoa bem esclarecida, sempre teve conhecimento de que o salário de Eduardo Cunha, como servidor público, jamais seria capaz de manter o elevado padrão de vida por eles mantido”, diz a petição do MPF.

  • Foto: Rodrigo Féliz Leal/Futura Press/Estadão ConteúdoCláudia Cruz visita Eduardo Cunha na sede da PFCláudia Cruz visita Eduardo Cunha na sede da PF

“Cláudia Cruz não foi simples usuária dos valores, mas coautora de Eduardo Cunha em lavar os ativos mediante manutenção de conta oculta com os valores espúrios, cuja abertura foi assinada por ela, bem como por converter os ativos criminosos em bens e serviços de altíssimo padrão”, segundo o MPF.

De acordo com a Veja, um valor mínimo foi estipulado pelo MPF para a reparação do dano causado aos cofres públicos por Cláudia. Caso seja condenada, Cláudia terá de ressarcir a União em 2,3 milhões de dólares (7 milhões de reais). Os réus Jorge Zelada, João Henriques e Idalécio Oliveira terão de ressarcir 77,5 milhões de dólares (240 milhões de reais).


MAIS NA WEB