Brasil

Ministro da Agricultura suspende licença devido Operação da PF

O ministro estava de licença por dez dias para resolver prolemas pessoais.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Após a Polícia Federal (PF) deflagrar na manhã desta sexta-feira (17) a Operação Carne Fraca, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi disse que vai suspender a licença de dez dias que pediu para tratar de assuntos particulares, e voltará ao trabalho.

A Operação Carne Fraca apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

De acordo com o G1, em dois anos, a PF descobriu que funcionários de Superintendências Regionais de Paraná, Minas Gerais e Goiás recebiam propina para facilitar a produção de alimentos adulterados, emitindo certificados sanitários sem qualquer fiscalização efetiva. Funcionários estão entre os detidos na operação.

  • Foto: Facebook/Blairo MaggiBlairo MaggiBlairo Maggi

Em nota divulgada nas redes sociais, o ministro disse que depois de deflagração a Operação, decidiu voltar ao trabalho. “Diante dos fatos narrados na Operação Carne Fraca, cuja investigação começou há mais de dois anos, decidi cancelar minha licença de 10 dias do MAPA”.

A Confederação da Agricultura e Pecuária também divulgou uma nota, onde disse que considera lamentável a denúncia de que alguns dos principais frigoríficos do país, com o apoio de uma rede de fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura, estariam envolvidos num esquema de venda ilegal de carnes ao consumidor.

O Brasil é o segundo maior produto de carne do mundo, só perde para os Estados Unidos. Além disso, é o país que mais exporta carne bovina. O total exportado no ano passado chegou a US$ 14 bilhões entre frango, carne bovina e suína.

Veja a íntegra da nota divulgada pelo ministro Blairo Maggi:

"Diante dos fatos narrados na Operação Carne Fraca, cuja investigação começou há mais de dois anos, decidi cancelar minha licença de 10 dias do MAPA. O que as apurações da Polícia Federal indicam é um crime contra a população brasileira, que merece ser punido com todo o rigor.

Neste momento, toda a atenção é necessária para separarmos o joio do trigo. Muitas ações já foram implementadas para corrigir distorções e combater a corrupção e os desvios de conduta, e novas medidas serão tomadas. Estou coordenando as ações, já determinei o afastamento imediato de todos os envolvidos, e a instauração de procedimentos administrativos.

Todo apoio será dado à PF nas apurações. Minha determinação é tolerância zero com atos irregulares no MAPA."

Relembre o caso

Na manhã desta sexta-feira (17) a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Carne Fraca e cumpriu 311 mandados judiciais, em sete estados do Brasil. A operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

Entre as marcas investigadas, estão Sadia, Friboi, Perdigão e Seara, que são acusadas de vender carnes estragadas, usar produtos cancerígenos e vencidos, entre outras irregularidades que foram encontradas durante dois anos de investigação.