Piauí - Teresina

Moradores reclamam da falta de energia no condomínio Alameda Sul

O síndico, Júnior Soares de Souza, destacou que a falta de energia não é só no condomínio, mas no bairro todo e, apesar de todas as solicitações, a Eletrobras não soluciona o problema.

BÁRBARA RODRIGUES DÉBORA DAYLLIN

- atualizado

Moradores do condomínio Alameda Sul, localizado no Residencial Nova Alegria II, no Parque Sul, em Teresina, denunciaram ao GP1 que há quase um mês ocorre falta constante de energia, o que acabou queimando as bombas da caixa de água. Os moradores pedem uma solução à Eletrobras.

Segundo uma moradora que preferiu não se identificar, a queda de energia acontece sempre por volta das 23h. “Essa queda de energia acontece de forma variada aqui no condomínio. Alguns apartamentos ficam sem energia total, outros ficam somente com oscilações, com a energia caindo e depois voltando. Já teve vários eletrônicos queimados por causa disso, a gente não consegue nem dormir por conta do calor”, explicou a moradora.

  • Foto: Debora DayllinCondomínio Alameda Sul Condomínio Alameda Sul

O síndico, Júnior Soares de Souza, destacou que a falta de energia não é só no condomínio, mas no bairro todo e, apesar de todas as solicitações, a Eletrobras não soluciona o problema, o que está gerando problemas financeiros. “Aqui nós possuímos 4 cisternas, duas bombas em cada, no momento estamos operando somente com as reservas, porque 4 queimaram, inclusive 3 em uma só noite, e fora as bombas, todo dia aqui queima de 4 a 5 lâmpadas e a gente que tem que arcar com todos esses prejuízos”, enfatizou.

  • Foto: Débora DayllinJunio Soares de Souza Junio Soares de Souza

Sem respostas da Eletrobras, moradores procuram medidas para conviver com a situação, “muitos estão fazendo gelo durante o dia, para à noite colocar nos alimentos para não estragar”, informou um morador do prédio. Outros já estudam entrar com uma ação coletiva contra a empresa para cobrar pelos prejuízos que vêm sofrendo.

  • Foto: Débora DayllinBomba de água de abastecimento Bomba de água de abastecimento

Já segundo o síndico, o condomínio vai solicitar o ressarcimento das bombas: “Pegamos até o orçamento, vai ter que ser feito um rebobinamento completo, vai custar em torno de R$ 500,00 cada bomba, e nós vamos cobrar”, finalizou Júnior.

Outro lado

Procurada pelo GP1, a assessoria de imprensa da Eletrobras não foi localizada para comentar o caso. O GP1está aberto a quaisquer esclarecimentos.

Mais conteúdo sobre: