Política

Moro determina que PF devolva iPads dos netos de Lula

Em maio, durante depoimento ao juiz, o petista reclamou sobre a apreensão dos objetos.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

O juiz federal Sérgio Moro mandou que a Polícia Federal devolva os iPads dos netos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foram apreendidos em 4 de março de 2016, na operação Alethea. Em maio, durante depoimento ao juiz, o petista reclamou da situação.

Segundo o G1, o despacho de Moro para a restituição do aparelho foi assinado em 19 de maio, nove dias após Lula ter feito o pedido. "Não tem este Juízo notícia de tal apreensão, mas se ocorreu deve ser tributado ao desconhecimento pelos agentes policiais do conteúdo dos aparelhos eletrônicos", escreveu Moro.

"De todo modo, poderia a Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva ter requerido diretamente à autoridade policial a sua devolução, já autorizada pelo trecho acima destacado."

  • Foto: Eduardo Frazão/FramePhoto/EstadãoConteúdo/Albery Santini/Futura Press/Estadão ConteúdoLula e MoroLula e Moro

O juiz afirmou ainda que determinou "a devolução de documentos e de equipamentos de informática se, após seu exame, constatar que não interessam à investigação". Em fevereiro de 2016, Moro autorizou a operação contra Lula. Realizada no âmbito da operação Aletheia, a ação de busca e apreensão em endereços ligados ao petista ocorreu em 4 de março de 2016.

Em sua decisão, o juiz continua: "para evitar maiores delongas, deverá a autoridade policial informar se identificou, na apreensão, os referidos aparelhos pertencentes aos netos do investigado e, se positivo, para que promova a devolução mediante termo no prazo de 10 dias."

A reclamação do ex-presidente Lula foi feita quando Moro o questionou com base em uma gravação em vídeo durante a condução coercitiva do petista. “Eu queria aproveitar, já que o senhor falou dessa coerção: determine que a Polícia Federal devolva os iPads dos meus netos. É uma vergonha. Ipad de neto de cinco anos. Está desde março do ano passado”, disse Lula.

“É só pedir a restituição que é devolvido, senhor presidente”, sugeriu Moro. “Não, não, não. Já pedi, já fui lá, já fui falar”, rebateu Lula. “Não pense que tudo que o senhor pede as pessoas fazem rapidamente. O senhor não viu como a Polícia Federal entrou na casa dos meus filhos. Não é com a educação que entraram na minha. Na casa dos meus filhos quebraram porta, quebraram portão”, concluiu Lula.