Esportes

MP da Espanha pede 2 anos de prisão para Neymar por corrupção

Acusações foram apresentadas na manhã desta quarta-feira (23).

NAYRANA MEIRELES

- atualizado
  • Foto: Instagram/Neymar JrNeymarNeymar

O Ministério Público da Espanha apresentou na manhã desta quarta-feira (23), acusações contra o jogador brasileiro Neymar que apontam para suspeita de corrupção e ilegalidade na transferência do atleta para o Barcelona, em 2013. Além disso, os promotores pedem que o jogador cumpra dois anos de prisão.

Além da prisão de Neymar, o procurador José Perals recomenda também uma pena de cinco anos de prisão ao ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell, considerado como a pessoa responsável pelo contrato com o brasileiro. De acordo com o Estadão, o clube deve pagar ainda 8,4 milhões de euros em multa.

A decisão do Ministério Público tem como base uma queixa do fundo de investimento DIS, ex-detentor dos direitos de Neymar, que reivindica uma maior porcentagem na transação do craque para o time do Barcelona, em 2013.

"O Barcelona e o jogador burlaram as normas da Fifa e alteraram a livre competência no mercado de transferências. Devemos nos perguntar que tipo de exemplo um esportista é capaz de assinar contratos simulados, traindo que investiu nele. São esses tipos de valores do Barcelona? O que pensam os patrocinadores do Barcelona e do jogador? Não podemos consentir que Neymar seja exemplo para nossos filhos", disse o diretor da DIS, Roberto Moreno.

A ação movida na Justiça espanhola havia sido arquivada, mas foi reaberta em setembro e a denúncia foi aceita pelo juiz da Audiência Nacional, José de La Mata. Segundo informações do Uol, ainda não há data definida para o julgamento do processo.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

MP da Espanha pede 2 anos de prisão para Neymar por corrupção
http://www.gp1.com.br/noticias/mp-da-espanha-pede-2-anos-de-prisao-para-neymar-por-corrupcao-404829.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.