Piauí - Teresina

MP investiga má qualidade do transporte público de Teresina

A portaria nº 05/2017 foi assinada pela promotora de Justiça Maria das Graças do Monte Teixeira, da 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, no dia 6 de março deste ano.

RAISA BRITO

- atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí abriu procedimento preparatório de inquérito civil para investigar denúncias de má qualidade do funcionamento do serviço de transporte público municipal de Teresina. A portaria nº 05/2017 foi assinada pela promotora de Justiça Maria das Graças do Monte Teixeira, da 32ª Promotoria de Justiça de Teresina, no dia 6 de março deste ano.

Para instaurar o procedimento, a promotora considerou reajuste das tarifas das passagens de ônibus que provocaram manifestações pela falta de qualidade dos ônibus, falta de ar-condicionado na maioria da frota e presença de linhas ruins. O decreto que reajusta o valor da passagem para R$ 3,30 (que antes era R$ 2,75), foi assinado pelo prefeito Firmino Filho (PSDB), no dia 4 de janeiro. 

  • Foto: Lucas Dias/GP1Parada de ônibusParada de ônibus

A promotora determinou expedição de ofício ao município de Teresina, requisitando a apresentação de manifestação acerca da notícia de má prestação do serviço de transporte público municipal, bem como requisitando a apresentação das seguintes informações: indicação do órgão responsável pelas concessões e/ou permissões de exploração da atividade, indicação acerca da existência de órgão fiscalizador em âmbito municipal de concessionárias e permissionárias de serviços públicos delegados, indicação da existência de repartição responsável pelo recebimento e processamento de reclamações por parte dos consumidores / usuários do serviço público, bem como eventual instauração de Processos Administrativos com base no Decreto Federal nº 2.181/97 e indicação da existência de números de reclamações registradas e estatísticas referentes à satisfação dos consumidores/usuários de transporte público.

Deverá também ser expedido ofício ao Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do Piauí (DCE-UFPI) e Associação dos Estudantes Secundaristas do Piauí (Ames), por serem as entidades indicadas como protestantes, para que, querendo, prestem os subsídios que detiverem acerca da qualidade do transporte público.


MAIS NA WEB