Piauí - Dom Inocêncio

MPF denuncia ex-prefeito Inocêncio Parente e Décio Macedo

Os acusados foram denunciados por desvio de recursos públicos, corrupção ativa e passiva, falsificação de documento público e uso de documento falso, fraudes em licitações e organização criminosa

THAIS SOUZA

- atualizado

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou, nessa quinta-feira (13), o ex-prefeito de Dom Inocêncio, Inocêncio Leal Parente, e o empresário Décio de Castro Macedo, presos na Operação Pastor, deflagrada no mês de junho pela Polícia Federal no Piauí.

De acordo com informações repassadas pela Polícia Federal, os acusados foram denunciados por desvio de recursos públicos, corrupção ativa e passiva, falsificação de documento público e uso de documento falso, fraudes em licitações e organização criminosa.

  • Foto: DivulgaçãoInocêncio Leal Parente e Décio de CastroInocêncio Leal Parente e Décio de Castro

Operação Pastor

A Polícia Federal no Piauí deflagrou no dia 21 de junho a Operação Pastor, com o objetivo de investigar o desvio de recursos públicos nos municípios de São Raimundo Nonato e Dom Inocêncio, localizados na região Sudeste do Piauí. Foram presos na operação o ex-prefeito de Dom Inocêncio, Inocêncio Leal Parente, o empresário Décio de Castro Macedo, de São Raimundo Nonato, o ex-vereador de Porto, Edgar Vaz da Costa Neto o ex-secretário de educação de Dom Inocêncio, João Rodrigues Damasceno Neto e o empresário José Inocêncio Reis Soares Siqueira.

De acordo com a PF, o grupo é investigado pelas práticas de peculato, fraudes em licitações, corrupção ativa e corrupção passiva. Durante as investigações, foram constatados desvios de recursos do Ministério da Educação, Codevasf e Funasa. O prejuízo apurado até o momento ultrapassa o montante de R$ 5 milhões.

MAIS NA WEB