Piauí - Várzea Branca

MPF investiga denúncia contra prefeito Idevaldo Ribeiro

Segundo a denúncia teria ocorrido a exclusão de alguns supostos beneficiários do Seguro-Safra por perseguição política.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O Ministério Público Federal no Piauí (MPF-PI), por meio do procurador Alexandre Assunção e Silva, instaurou um inquérito civil, no dia 19 de setembro para investigar denúncias de irregularidades contra a prefeitura de Várzea Branca, que tem como gestor Idevaldo Ribeiro da Silva.

O procurador da república afirmou na portaria de nº 20 que já havia sido iniciada uma investigação contra o prefeito Idevaldo Ribeiro por meio de procedimento preparatório de nº 1.27.004.000006/2017-02, mas com o fim do prazo de investigação e a necessidade de continuar colhendo informações ele decidiu converter o procedimento em inquérito.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Ministério Público Federal no Piauí (MPF/PI) Ministério Público Federal no Piauí (MPF/PI)

O inquérito irá investigar denúncia de irregularidades encontradas no cadastramento de beneficiários do Programa Garantia-Safra, conhecido também como Seguro-Safra, no município de Várzea Branca. Segundo a denúncia teria ocorrido a exclusão de alguns supostos beneficiários por perseguição política.

O Garantia-Safra é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) voltada para os agricultores familiares que se encontram em municípios com perdas sistemáticas de produção em função da seca ou excesso de chuva. O programa tem como beneficiários os agricultores que possuem renda familiar mensal de, no máximo, 1,5 (um e meio) salário mínimo e que plantam entre 0,6 e 5 hectares de feijão, milho, arroz, mandioca, algodão.

Outro lado

Em entrevista ao GP1, o prefeito Idevaldo negou caso de perseguição política. “Isso não existe. Nós só fazemos o cadastro, mas quem escolhe quem será beneficiado é o pessoal do Governo Federal. O que acontece é que nós fazemos os cadastros, mas se a pessoa não se encaixa no perfil do programa, então ela acaba não sendo beneficiada. Não é o município que escolhe quem vai ser ou não beneficiado, quando os dados são inseridos, o próprio programa determina se aquela pessoa pode ser beneficiada, isso não é com a gente. Então eu desconheço essa denúncia”, disse o prefeito.

MAIS NA WEB