Piauí - Teresina

MPF investiga desapropriação milionária paga por Firmino Filho

A investigação será conduzida pelo procurador da República Leonardo Carvalho Cavalcante Oliveira.

GIL SOBREIRA

- atualizado

Ministério Público Federal instaurou ‘Notícia de Fato’ para investigar o processo de desapropriação do terreno no bairro Parque Alvorada destinado a construção de uma creche de educação infantil. A investigação será conduzida pelo procurador da República Leonardo Carvalho Cavalcante Oliveira. O processo foi autuado em 28 de setembro de 2017.

O prefeito Firmino Filho (PSDB) pagou R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais), com dinheiro do Fundef, um terreno que foi comprado por R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), seis meses antes da desapropriação. A reportagem com detalhes da transação foi publicada no dia 26 do mês passado pelo GP1.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Prefeito Firmino FilhoPrefeito Firmino Filho

O laudo de avaliação do imóvel desapropriado comprova, com clareza solar, que houve vazamento de informação privilegiada e que o caso merece uma investigação profunda pelos indícios de inúmeros crimes.

Entenda o caso

O imóvel foi adquirido em 08 de janeiro de 2015, por Maria do Socorro Carvalho, do empresário Irineu Fernandes Vieira e Gisela Maria Pereira Ximenes Vieira, pelo valor de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) e foi desapropriado seis meses depois, através do Decreto n°15.271, de 28 de julho de 2015, por R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais), numa espantosa valorização de mais de 650% (seiscentos e cinquenta por cento), mostrando que a proprietária tem o poder da premonição ou teve informação privilegiada.

Irineu Fernandes Vieira e Gisela Maria Pereira Ximenes Vieira arremataram o imóvel na Justiça Federal por R$ 241.369,72 (duzentos e quarenta e um mil trezentos e sessenta nove reais setenta e dois centavos) e o registro foi efetuado em 25 de novembro de 2014.

Maria do Socorro Carvalho é irmã do empresário Abelardo Carvalho, conhecido “General”, umbilicalmente ligado às administrações do PSDB na Prefeitura de Teresina, tendo, inclusive, cedido prédio onde funcionou comitê eleitoral do então candidato a reeleição Firmino Filho, a conhecida “Casa 45”.

Outro lado

Procurada na manhã desta terça-feira (03), a assessoria do prefeito Firmino Filho desligou o telefone quando ouviu o questionamento do jornalista e não atendeu mais as nossas ligações. O GP1 continua aberto para quaisquer esclarecimentos.