Mundo

Mulher escreve livro com próprio estuprador 9 anos após agressão

Os dois passaram a percorrer o mundo discutindo o impacto da experiência.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

A islandesa Thordis Elva resolveu escrever um livro com o australiano Tom Stranger, nove anos após ser estuprada por ele. Os dois hoje viajam pelo mundo falando sobre o impacto da experiência.

Thordis Elva tinha 16 anos quando foi violentada por Tom Stranger, que tinha 18 anos à época. O fato ocorreu em 1996, após uma festa natalina em Reykjavik, capital da Islândia. Eles namoravam havia apenas um mês e tinham bebido rum. Thordis passou mal durante a festa e Stranger a levou para casa.

A moça não denunciou o estupro. "Eu tinha 16 anos e estava apaixonada pela primeira vez na vida. Fiquei machucada e chorei muito por semanas, mas tudo era muito confuso para mim. Tom era meu namorado, não um lunático. E o estupro ocorreu na minha cama, não em uma viela. Quando finalmente concluí que havia sido estuprada, Tom já tinha voltado para a Austrália, ao final de seu programa de intercâmbio", conta.

  • Foto: DivulgaçãoThordis Elva e Tom StrangerThordis Elva e Tom Stranger

Nove anos depois, ela decidiu entrar em contato com Stranger por meio de uma carta e o australiano respondeu afirmando que faria “o que fosse necessário”. Stranger conta que sufocou deliberadamente as memórias do estupro e que dias depois da agressão tinha plena noção de que havia feito "algo muito errado".

"Repudiei o ato mesmo quando o cometia. Mas contei para mim mesmo uma mentira, a de que havia sido sexo, não estupro. Negligenciei o imenso trauma que causei a Thordis. E a mentira me deixou com uma culpa atroz", diz. De acordo com informações do G1, uma paletra da dupla, chegou a ser assistida por mais de 2,7 milhões de pessoas. A transcrição da palestra chama a atenção pela franqueza do diálogo entre agressor e vítima.

Mais conteúdo sobre: