Economia e Negócios

Mutirão dos Correios entrega mais de 4,5 milhões de encomendas

A ação, segundo a assessoria do órgão, contou com a participação de mais de 15 mil trabalhadores e também preparou mais de 5 milhões de objetos postais para serem entregues.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

Os Correios entregaram neste sábado (30) e domingo (01), mais de 4,5 milhões de cartas e encomendas no mutirão realizado nas localidades em que há paralisação parcial. A ação, segundo a assessoria do órgão, contou com a participação de mais de 15 mil trabalhadores e também preparou mais de 5 milhões de objetos postais para serem entregues.

Segundo os Correios, na segunda-feira (2), 85,56% dos empregados, ou seja 92.898 trabalhadores exerceram suas funções normalmente em todo o país. Desde a última sexta-feira (29), mais de 1.200 empregados retornaram aos seus postos de trabalho. No Piauí, a adesão caiu quase três pontos percentuais, 84,36% dos empregados encontram-se em atividade, o equivalente a 1.289 trabalhadores.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Correios em TeresinaCorreios em Teresina

Em todo o Brasil, a rede de atendimento está aberta e todos os serviços, inclusive o SEDEX e o PAC, continuam disponíveis. Apenas os serviços com hora marcada (Sedex 10, Sedex 12, Sedex Hoje, Disque Coleta e Logística Reversa Domiciliária) estão suspensos.

Na última quinta-feira (28), o Tribunal Superior do Trabalho determinou, em decisão liminar, que a greve dos trabalhadores dos Correios é abusiva. Diante disso, os Correios aguardam o retorno dos empregados aos seus postos de trabalho e adotarão as providências necessárias para ingressar com dissídio coletivo no TST.

A greve

A greve dos Correios teve início do dia 19 de setembro. O movimento teve adesão de trabalhadores de todos os 26 estados e do Distrito Federal. Entre os motivos da paralisação estão o fechamento de agências por todo o país, pressão para adesão ao plano de demissão voluntária, ameaça de demissão motivada com alegação da crise, ameaça de privatização, corte de investimentos em todo o país, falta de concurso público, além de mudanças no plano de saúde e suspensão das férias para todos os trabalhadores, exceto para aqueles que já estão com férias vencidas.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB