Piauí - Picos

Nerinho critica reforma política aprovada pelo Congresso

Parlamentar criticou o açodamento dos congressistas e defendeu uma reforma política ampla na próxima legislatura.

JOSÉ MARIA BARROS

- atualizado

Em visita a Picos na noite da última quinta-feira, 5, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, deputado licenciado Nerinho (PTB), fez duras críticas à reforma política aprovada pelo Congresso Nacional.

As críticas do deputado foram direcionadas ao fim das coligações proporcionais sem a adoção da federação e ao financiamento público de campanha. “Acho que o Congresso quase que se desesperou! Chegou no prazo máximo de aprovar as reformas, não tinha nada aprovado e fez qualquer coisa para dá uma satisfação à sociedade” – apontou Nerinho.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Deputado licenciado Nerinho (PTB)Deputado licenciado Nerinho (PTB)

O parlamentar, no entanto, aprovou o ponto da reforma que estabelece a cláusula de desempenho para que os partidos só tenham acesso aos recursos do Fundo Partidário e ao tempo de propaganda gratuita no rádio e na televisão, se atingirem um patamar mínimo de candidatos eleitos em todo o país.

“Acho que essa reforma não foi muito pensada, não é sensata, apesar de que o fim das coligações proporcionais só vai valer a partir de 2020. Mas, o financiamento público de campanha acho que não tinha nada demais se qualquer cidadão pudesse doar certo valor para campanha de determinado candidato. Entendo que isso não é empecilho de nada! Proibir a iniciativa privada, o cidadão comum de fazer algo nesse sentido foi muito precipitado” – posicionou-se Nerinho.

Ele afirmou ainda que tirar dinheiro de emenda de bancada para bancar o Fundo Partidário também não foi uma boa ideia, mas admite que as eleições do próximo ano já com essas novas regras servirão de parâmetro para as disputas futuras.

Ele encerrou dizendo que na próxima legislatura o Congresso Nacional tem que pensar logo no primeiro ano discutir o que está errado e, pensar em fazer uma reforma política de verdade e não uma coxa de retalho como foi essa de agora.

Mais conteúdo sobre: