Mundo

Nobel da Paz e dissidente chinês Liu Xiaobo morre aos 61 anos

Liu, que ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2010, tinha um câncer de fígado em fase terminal e sofria de falência múltipla dos órgãos.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Morreu nesta quinta-feira (13), o dissidente chinês Liu Xiaobo, de 61 anos. Liu, que ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2010, tinha um câncer de fígado em fase terminal e sofria de falência múltipla dos órgãos. A família não aceitava que ele recebesse respiração artificial.

Segundo o Gabinete de Assuntos Jurídicos da cidade Shenyang, onde fica o Hospital Universitário Nº1, a morte de Liu aconteceu três dias depois começar a receber tratamento intensivo. Xiaobo teve a liberdade condicional concedida somente no dia 26 de junho.

De acordo com o G1, o anúncio da morte é delicado para Pequim porque expõe o tratamento reservado a dissidentes políticos no país. Mais cedo, nesta quinta, a China voltou a negar os apelos internacionais para que o opositor recebesse tratamento no exterior.

  • Foto: AP PhotoNobel da Paz Liu Xiaobo, em foto de arquivo de 14 de março de 2005Nobel da Paz Liu Xiaobo, em foto de arquivo de 14 de março de 2005

O comitê do Nobel norueguês diz que a China tem uma "grande responsabilidade" na morte "prematura" de Liu Xiabo ao privá-lo de cuidados médicos adaptados. "Consideramos profundamente perturbador que Liu Xiaobo não tenha sido transferido a um estabelecimento onde poderia ter recebido um tratamento médico adequado antes que sua doença entrasse em estágio terminal", declarou a presidente do comitê, Berit Reiss-Andersen.

Liu Xiaobo foi condenado a 11 anos de prisão em 2009, sob acusação de “subversão” depois de reivindicar reformas no país. Ele foi um dos autores da Carta 08, um texto que defendia a democracia na China. O professor ainda tinha três anos de sua condenação a cumprir.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB