Brasil

Número de nascimentos no Brasil cai pela 1ª vez desde 2010, diz IBGE

Pesquisadores acreditam que um dos motivos para a queda é a crise econômica e o surto de Zika.

ANDRESSA MARTINS

- atualizado

Segundo dados da pesquisa anual Estatísticas de Registro Civil, divulgada pelo (IBGE) nesta terça-feira (14), o número de nascidos no Brasil caiu 5,1% em 2016, interrompendo a tendência ao crescimento que vinha desde 2010. O número de casamentos, tanto heterossexuais como gays, também diminuiu. A quantidade de divórcios aumentou.

Os pesquisadores já acreditavam que em algum momento o número de nascimentos diminuiria devido ao envelhecimento da população e da queda da taxa de fecundidade, mas a proporção do recuo os surpreendeu.

Em 2016 foram registradas 2,79 milhões de crianças, 151 mil a menos que no ano de 2015. Pesquisadores do IBGE acreditam que a diminuição da natalidade seja resultado do surto de zika, que aconteceu no início de 2016 e inibiu que as mulheres engravidassem.

  • Foto: IBGEPesquisadores acreditam que a queda tenha se dado por conta da crise e do surto de ZikaPesquisadores acreditam que a queda tenha se dado por conta da crise e do surto de Zika

A crise financeira que agrava o país também é uma das hipóteses para a queda do nascimento. “Pesquisas do IBGE mostram que há relação entre crise, desemprego e nascimento. As pessoas acabam adiando a decisão de ter filhos”, diz Barbara Cobo, coordenadora de população e Indicadores sociais do IBGE.

Os dados confirmam ainda que as mulheres estão tendo filhos mais tarde, depois dos 30 anos. O número de mães jovens, no entanto, caiu.

Casamento

Os casamentos, tanto gays como heterossexuais, também caiu segundo os dados do IBGE. Houve redução de 3,7% em relação a 2015, o que significa 41.813 casamentos a menos. “Isso também pode ser atribuído à crise econômica. As pessoas podem ter postergado a decisão de casar para não gastar com festas, por exemplo”, diz Cobo.

  • Foto: IBGECasamentos diminuíram com a criseCasamentos diminuíram com a crise
Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB