Piauí - Picos

Organização proíbe imprensa de cobrir visita de Lula a Casa Ápis

Jornalistas picoenses e de cidades da região foram impedidos de acompanhar a visita do ex-presidente Lula a Casa Ápis e de subir no palco montado para o ato público.

JOSÉ MARIA BARROS

- atualizado

Organização proíbe imprensa de cobrir visita de Lula em Picos

Com a conivência dos líderes locais do Partido dos Trabalhadores e do coordenador municipal de Comunicação, José Neto Monteiro, a equipe de organização proibiu a imprensa de cobrir a visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Casa Ápis.

Embora tenham chegado cedo ao local, os jornalistas foram impedidos pela equipe do Instituto Lula de acompanharem a visita do ex-presidente às dependências da Casa Ápis, que é a Central de Cooperativas Apícolas do Semiárido Brasileiro, localizada no bairro Pantanal. Em razão disso a cobertura jornalística foi comprometida.

Logo na entrada que dá acesso a uma área vip onde estavam as autoridades e convidados, havia uma barreira com vários seguranças truculentos e mal educados. Eles tentaram de todas as maneiras impedir a entrada dos jornalistas, que só conseguiram passar pela barreira após muita insistência e, em alguns casos, com a interferência do vereador do PT, Wellington Dantas.

Minutos antes da chegada de Lula, os jornalistas foram retirados pelos seguranças do espaço onde estavam e impedidos de registrar a visita do ex-presidente Lula às dependências da Casa Ápis.

Preocupados com os prejuízos na cobertura, os jornalistas procuraram o presidente do diretório municipal do PT, Zacarias Teixeira; o vereador Wellington Dantas e o coordenador municipal de Comunicação, José Neto Monteiro, porém, todos eles se esquivaram da responsabilidade e disseram que não podiam fazer nada.

Até mesmo o prefeito de Picos, Padre José Walmir de Lima (PT) foi procurado pelo repórter do GP1, mas este também se esquivou e justificou dizendo que até ele [Padre Walmir] havia sido barrado pela equipe de Lula, que o impediu de entrar no Entre Rios Hotel no dia anterior.

Discriminação

Os jornalistas barrados disseram que ao longo da semana haviam procurado o coordenador de Comunicação, José Neto Monteiro, para fazer o credenciamento dos profissionais que iriam fazer a cobertura da visita de Lula a Picos. No entanto, nada foi feito e a imprensa acabou tendo o seu trabalho comprometido, haja vista que não teve acesso a Casa Ápis e nem ao palco montado para o ato público.

Dos jornalistas picoenses apenas um teve acesso ao palco, num ato considerado pelos colegas como discriminação.

Um dos mais indignados com o tratamento dispensado à imprensa picoense era o radialista Assis Santos, coordenador da equipe de jornalismo do Sistema de Comunicação de Picos, que envolve emissoras de rádio e portal de internet. Ele chegou a propor uma nota de repúdio contra o ato discriminatório.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB