Mundo

Papa Francisco diz que ‘jamais se pode matar em nome de Deus'

Pontífice denunciou ‘loucura homicida’ do terrorismo jihadista.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

O Papa Francisco denunciou nesta segunda-feira (9) a “loucura homicida” do terrorismo jihadista e pediu a todos os líderes religiosos que se “lembrem de que jamais se pode matar em nome de Deus”.

De acordo com informações do G1, o pontífice denunciou, perante os embaixadores estrangeiros da Santa Sé, “a loucura homicida que abusa do nome de Deus para semear a morte” e chamou os ataques as outras religiões de “terrorismo de matriz fundamentalista”.

São gestos vis, que usam crianças para matar, como na Nigéria. Eles visam aqueles que oram, como na catedral copta do Cairo, ou simplesmente alguém que anda pelas ruas da cidade, como em Nice e Berlim, ou aquele que comemora a chegada do Ano Novo, como em Istambul", lembrou.  "Por isso, apelo a todas as autoridades religiosas a se unirem para lembrar com força que jamais devemos matar em nome de Deus", disse.

  • Foto: Andreas Solaron/AFPPapa FranciscoPapa Francisco

Segundo Francisco, o "terrorismo fundamentalista é fruto de uma grave pobreza espiritual, que está muitas vezes ligada a uma grande pobreza social" e "pode ser totalmente superada com a contribuição conjunta dos líderes religiosos e políticos".

Por isso ele pediu que os políticos "garantam no espaço público o direito à liberdade religiosa, reconhecendo a contribuição positiva que ela exerce", enquanto luta através de "políticas sociais adequadas" para "prevenir estas condições que se tornam terreno fértil para o surgimento do fundamentalismo".

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB