Piauí - Curimatá

Piauiense Lair Guerra de Macedo é indicada ao Prêmio Nobel da Paz

Lair Guerra de Macedo, de 61 anos, é natural do município de Curimatá, região Sul do Piauí.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado
  • Foto: DivulgaçãoLair Guerra de MacedoLair Guerra de Macedo

Natural do município de Curimatá, região Sul do Piauí, a Doutora Lair Guerra de Macedo, de 74 anos foi a personalidade brasileira indicada para receber o Prêmio Nobel da Paz.

Infectologista, gestora pública, professora, lecionou microbiologia na Universidade Federal do Piauí (UFPI), e na Universidade de Brasília. Ela é assistente social e biomédica por formação, com pós-graduação no Centro de Controle de Doenças (CDC) em Harvard, nos Estados Unidos.

Lair Guerra dirigiu o Programa de Saúde Materno-Infantil do Ministério da Saúde, foi convidada para iniciar o Programa Brasileiro de DST/AIDS em 1986 e atuou como diretora por 10 anos. Durante esse período, conseguiu recursos do Banco Mundial, com os quais qualificou e treinou profissionais para combater às DST/AIDS.

Irmã da falecida médica Estelita Guerra, que foi prefeita de Curimatá por três vezes, Lair sempre lutou por alguma causa. Ela estabeleceu referência para o tratamento de paciente soro positivo, incentivou a criação e manutenção de organizações não governamentais e iniciou o programa de teste de vacina para prevenção da AIDS.

Lair representou ainda o Brasil na Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra, por três vezes. Ela também recebeu, neste ano, o título de Personalidade da Década pela Confederação Brasileira de Mulheres e do Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Juventude.

O prêmio

Prêmio Nobel é um conjunto de prêmios internacionais anuais concedidos, em várias categorias por comitês suecos e noruegueses, em reconhecimento aos avanços culturais e/ou científicos.

O Brasil jamais recebeu um Prêmio Nobel. Nomes como Jorge Amado, D. Helder Câmara e D. Zilda Arns chegaram perto do Nobel da Paz, mas não levaram o título. O Dr. Carlos Chagas, que descobriu a doença que leva seu nome, foi o que chegou mais perto, em 1922.

Graças ao programa brasileiro de controle de DST/AIDS, que se tornou um exemplo para o mundo, no enfrentamento desta epidemia, Lair Guerra de Macedo Rodrigues, poderá se tornar a primeira brasileira a receber o Prêmio Nobel.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB