PI - Parnaíba

PM é investigado por envolvimento com tráfico de drogas em Parnaíba

De acordo com o delegado Tales Gomes, as investigações iniciariam após apreensão de uma arma de fogo de uso restrito, encontrada na casa de um empresário preso em operação da Depre.

THAIS SOUZA

- atualizado

O delegado Tales Gomes, da Delegacia Especializada de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE), informou na manhã deste sábado (12), em entrevista ao GP1, que um soldado da Polícia Militar de Parnaíba está sendo investigado na Operação Barlavento por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas.

De acordo com o delegado, as investigações em relação ao PM, que ainda não teve a identidade revelada, iniciariam após apreensão de uma arma de fogo de uso restrito, encontrada na casa do empresário, Jean Carlos Brito Soares, preso na Operação Barlavento.

  • Foto: Divulgação/ PolíciaCivilArma de uso restritoArma de uso restrito

Segundo Tales, o policial será ouvido nesta semana. “Ele [empresário Jean Carlos] disse que ela [arma] foi deixada como garantia de uma dívida de dinheiro, pois Jean emprestava dinheiro na cidade”, finalizou o delegado.

Operação Barlavento

A Secretaria de Segurança Pública, através de investigação conduzida pela Delegacia Especializada de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (DEPRE), com apoio da Diretoria de Inteligência e Canil da Polícia Militar, deflagrou a Operação Barlavento na última quinta-feira (10), em Parnaíba. Sete pessoas foram presas após o cumprimento de mandados de prisão, dentre eles o empresário Jean Carlos Brito Soares, que atua no ramo automotivo.

A ação teve como objetivo desarticular grupos de pessoas que vêm sendo investigadas há um ano pelo crime de tráfico de drogas. Durante todo o processo de investigação, 14 pessoas já foram presas e mais de 80kg de drogas foram apreendidas, além de armas. Nas diligências foram presos Walter Jonas Gomes Ferreira, Herlane Erica Araújo Costa, Rafael Pereira de Araújo, Jean Carlos Brito Soares, Bruno de Brito Rocha, Fábio Junior Santos Fontenele e Francisco das Chagas de Araújo Lopes.

MAIS NA WEB