PI - Piripiri

Polícia Civil monta operação e apreende celulares em Piripiri

A operação deve prosseguir nos próximos dias, os receptadores que estão sendo encontrados com os aparelhos assinam um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) e são liberados em seguida.

RAFAEL GALVÃO

- atualizado

A Polícia Civil de Piripiri deflagou a 3º fase da Operação Graham Bell, onde objetiva a recuperação de dezenas de celulares roubados no município. A operação conta com o comando dos delegados Jorge Terceiro e Ricardo Oliveira. Ela visa combater furtos, roubos e receptação de aparelhos celulares em Piripiri e cidades circunvizinhas.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilCelulares recuperados em Piripiri Celulares recuperados em Piripiri

Ao todo, foram recuperados 22 aparelhos celulares de diversas marcas. "Desde o início da Operação Graham Bell, no primeiro semestre deste ano, as ocorrências de furto e roubo de aparelhos celulares caíram 80% em nosso município. Enquanto operações como a "Kleptes" visaram prender os autores dos furtos e roubos, essa busca justamente atacar a outra ponta da cadeia criminosa, a dos receptadores", afirmou o delegado do 1º Distrito Policial, Jorge Terceiro.

Em razão das apreensões, diversos procedimentos estão sendo instaurados, podendo resultar em novas fases da operação. A Polícia Civil também está entrando em contato com os proprietários dos aparelhos recuperados para que compareçam no complexo de delegacias desta cidade para a restituição dos aparelhos.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilDelegacia de Piripiri Delegacia de Piripiri

Jorge Terceiro pede para as vítimas de roubos registrem as ocorrências. "Nós da Policia Civil reiteramos nosso compromisso com a população piripiriense e novamente solicitamos que vitimas de furto e roubo de celulares continuem registrando os Boletins de Ocorrência no Complexo de Delegacias de Piripiri”, comentou.

Ele falou ainda da importância de comprar aparelhos com notas fiscais. “Também alertamos a população e comerciantes da cidade que evitem adquirir ou tentar revender aparelhos celulares sem nota fiscal ou de origem duvidosa, pois a polícia está trabalhando constantemente para acabar com esse tipo de crime na cidade", concluiu Jorge Terceiro.

A operação deve prosseguir nos próximos dias e os receptadores que estão sendo encontrados com os aparelhos assinam um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) e são liberados em seguida.

MAIS NA WEB