Piauí - Picos

Polícia identifica real autor de assassinato de jovem em Picos

O suspeito conhecido como “Galego do Papelão” foi localizado após uma denúncia anônima ao Copom.

DÉBORA DAYLLIN

- atualizado

Na manhã desta quinta-feira (05), policiais da força tática do 4º batalhão da cidade de Picos identificaram o verdadeiro acusado de assassinar o jovem Felipe Lavor dos Santos, morto na madrugada dessa quarta-feira (04) no Picoense Clube. O suspeito conhecido como “Galego do Papelão” foi localizado após uma denúncia anônima ao Copom.

Segundo informações do coronel Edwaldo Viana, comandante da PM de Picos, após a denúncia foram realizadas diligências a fim de localizar a casa do suspeito. “Os policiais se deslocaram até a residência do galego, que estava na companhia de sua companheira Lívia, o oficial solicitou entrar na casa e logo avistou uma espingarda de confecção caseira carregada. Lívia assumiu ser a proprietária dá arma. Interrogando o Galego sobre a autoria do homicídio ele respondeu que não foi ele e sim um menor de iniciais E. G. S., que teria chegado mais cedo em sua casa e relatou ter dado uma facada num cara no Picoense em razão de uma briga”, relatou Edwaldo Viana.

  • Foto: Divulgação/PMVítima: Felipe Lavor e Acusado: Galego do PapelãoVítima: Felipe Lavor e Acusado: Galego do Papelão

Ainda segundo o coronel, foi feita a apreensão da espingarda e dado a voz de prisão para Lívia por porte ilegal de arma de fogo, em seguida os policiais conduziram Galego até a Central de Flagrantes para prestar esclarecimentos. Ao mesmo tempo outra equipe da PM se dirigiu até a casa de E. G. S, que segundo informações ficava próximo a Escola Normal; o menor foi encontrado e conduzido também para a Central de flagrantes onde confessou ter desferido o golpe de faca no peito da vítima. Foram encontrados na casa as vestimentas que supostamente o apreendido usava no dia do homicídio. Em face da confissão do menor, Galego terminou sendo liberado.

Contudo, conforme relato do policial militar, Joel Moura, uma conversa do aplicativo de mensagens WhatsApp mudou a versão dada na Central de Flagrantes pelos envolvidos. “Eecebi um print de conversas de um grupo de rapazes aqui da região do pantanal, dizendo que esses rapazes testemunharam de maneira ocular o crime, onde quem deu a facada em Felipe foi mesmo o Galego do Papelão e não o menor, conhecido como bebim, diligenciamos para encontrar os rapazes da conversa, identificamos, conversamos com eles e convencemos os mesmos a prestar depoimento na central, e confirmaram a autoria para Galego.”

Após as novas informações, os policiais realizaram diligências com o intuito de recuperar o paradeiro de Galego, mas sem sucesso. A Polícia Civil então representou pelo pedido de prisão preventiva dele, que passou a ser foragido. As buscas continuam a fim de localizá-lo.

Mais conteúdo sobre: