Piauí

Policiais farão concurso da Sejus do Piauí para evitar fraudes

Em 2016, policiais do Greco prenderam prenderam o advogado Evilásio Rodrigues de Oliveira Cortez e outras pessoas, acusadas de tentarem fraudar o concurso público para agente penitenciário da Sejus.

PRISCILA CALDAS

- atualizado

Nesse domingo (19), acontece as provas objetiva e dissertativas do concurso público para agentes penitenciários da Secretaria de Justiça, que está sendo organizado pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos da Universidade Estadual do Piauí (Nucepe).

Com o salário inicial de R$ 5.966,14, o certame é para a classificação de 400 candidatos (360 na ampla concorrência e 40 pessoas com deficiência). A previsão, segundo a Secretaria de Justiça do Piauí (Sejus-PI), é que 75 classificados sejam chamados imediatamente.

Os candidatos devem retirar os novos cartões de informação no site do Nucepe. Os portões serão fechados às 8h30 e as provas aplicadas das 9h às 14h. A concorrência é de 7.832 candidatos (dos quais 132 concorrem às vagas para pessoas com deficiência).

Suspensão do certame
Em setembro de 2016, policiais civis do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) prenderam o advogado Evilásio Rodrigues de Oliveira Cortez e outras pessoas, acusadas de tentarem fraudar o concurso público para agente penitenciário da Secretaria de Justiça do Piauí. As prisões aconteceram um dia após realização do certame, em virtude dessa ação policial, a Sejus suspendeu o concurso público no dia 5 de outubro do mesmo ano, após recomendação do Ministério Público do Estado.

Após as prisões desses criminosos, o secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, anunciou que uma operação policial foi montada para evitar que fraudes e outros problemas aconteçam durante a aplicação das provas do concurso. A operação será coordenada pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), Núcleo de Inteligência da Polícia Civil e pela Sejus.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Daniel OliveiraDaniel Oliveira

“Serão mais de 50 integrantes das forças de segurança articulados na estratégia para resguardar o concurso, de modo que o certame transcorra com lisura e que o cidadão que mais estudou e se preparou seja, efetivamente, selecionado”, destacou Daniel Oliveira.

Delegados e policiais da Policia Civil, agentes penitenciários e policiais militares estarão descaracterizados fazendo as provas e darão cobertura à realização do concurso público.  As provas serão realizadas na Universidades Estadual do Piauí e em mais treze escolas de Teresina, totalizando 220 turmas. O concurso será acompanhado por 636 fiscais.