Piauí - Paulistana

Prefeito Didiu faz contratação de 62 professores temporários

O valor pago é bem menor do que o piso nacional do magistério, que foi reajustado no mês de janeiro e atualmente é de R$ 2.298,80 mil.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O prefeito de Paulistana, Gilberto José de Melo, mais conhecido como Didiu, realizou a contratação de 62 professores para prestação de serviços temporários no município. As contratações foram publicadas no Diário Oficial dos Municípios do Piauí de terça-feira, dia 12 de abril.

Os professores estão sendo contratados para atenderem a demanda do município em várias áreas de ensino, onde ficou estabelecido que vão ter uma carga horária de 25 horas semanais, com um salário mensal no valor de R$ 1.436, 75 mil, ou seja, um total de R$ 89.078,5 mil por mês. O valor é bem menor do que o piso nacional do magistério, que foi reajustado no mês de janeiro e atualmente é de R$ 2.298,80 mil.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Gilberto José, Didiu, Prefeito de PaulistanaGilberto José, Didiu, Prefeito de Paulistana

Os recursos financeiros da lei são provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).O prefeito Didiu informou que os contratos serão encerrados quando for realizada a homologação de processo seletivo que deve ser realizado ainda neste ano.

Recentemente os promotores do Ministério Público Estadual estão expedindo portarias para que os prefeitos se abstenham de realizar contratações temporárias e determinando que sejam realizados concursos públicos para que sejam atendidas as demandas dos municípios. Para os promotores "é imprescindível a realização de concurso público para adequar as normas constitucionais e, por conseguinte, adequar esses municípios ao modelo constitucional”.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB