Piauí - Porto

Prefeito Manin exonera servidores comissionados de Porto

O prefeito decidiu tornar sem efeito todas as portarias relativas à nomeação de pessoas na Prefeitura de Porto que estejam em cargos comissionados.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado
  • Foto: DivulgaçãoPrefeito de Porto Francisco GeronçoPrefeito de Porto Francisco Geronço

O prefeito de Porto, Francisco Geronço, mais conhecido como conhecido como Professor Manin, publicou decreto de nº 13/2016, de 11 de outubro, exonerando todos os servidores de cargos comissionados com o objetivo de cortar gastos públicos no final de seu mandato.

Manin Geronço sai do comando da prefeitura no dia 31 de dezembro deste ano. Domingos Bacelar de Carvalho, mais conhecido como Dó Bacelar (PP), assume em janeiro de 2017 após ser eleito com 63,61% dos votos válidos, contra 32,01% do segundo colocado, Dr. Valter (PHS).

O prefeito decidiu tornar sem efeito todas as portarias relativas à nomeação de pessoas na Prefeitura de Porto que estejam em cargos comissionados, com exceção daqueles que ocupam cargos políticos, como os secretários municipais.

Também ficam rescindidos todos os contratos referentes aos prestadores de serviço, bem como quaisquer modalidades de contratação que gerem vínculo empregatício em contrariedade a legislação vigente, inclusive relacionadas as concessões de gratificações.

Outros prefeitos no Piauí estão tomando a mesma medida com o objetivo de cortar os gastos e equilibrar as contas do município antes do novo gestor assumir em 2017. O prefeito de Piripiri, Odival Andrade, o de Campo Grande do Piauí, Francisco José Bezerra, o Dr. Tico (PP) e o de Barras, Edilson Capote  foram alguns que também exoneraram os servidores.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Prefeito Manin exonera servidores comissionados de Porto
http://www.gp1.com.br/noticias/prefeito-manin-exonera-servidores-comissionados-de-porto-402898.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.