Piauí - Teresina

Prefeitura de Teresina nega irregularidade em desapropriação

Em nota, a prefeitura afirma que o valor da área desapropriada foi definida em processo legal realizado pela Caixa Econômica Federal, em outubro de 2014, e o pagamento ocorreu somente no ano de 2016.

BRUNNO SUÊNIO

- atualizado

A secretária executiva da Secretaria Municipal de Comunicação, Dulce Luz, enviou na tarde desta terça-feira (26), direito de resposta a cerca da matéria publicada nesta manhã intitulada “Firmino Filho desapropriou por R$ 2 milhões terreno que foi comprado por R$ 300 mil”.

  • Foto: Lucas Dias/ GP1Firmino FilhoFirmino Filho

Segundo a reportagem, o imóvel foi adquirido em 08 de janeiro de 2015, por Maria do Socorro Carvalho, do empresário Irineu Fernandes Vieira e Gisela Maria Pereira Ximenes Vieira, pelo valor de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) e foi desapropriado seis meses depois, através do Decreto n°15.271, de 28 de julho de 2015, por R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais), numa espantosa valorização de mais de 650% (seiscentos e cinquenta por cento), mostrando que a proprietária tem o poder da premonição ou teve informação privilegiada.

Em nota, a assessora do prefeito Firmino Filho afirmou que o valor da área desapropriada foi definida em processo legal realizado pela Caixa Econômica Federal, em outubro de 2014, e o pagamento ocorreu somente no ano de 2016.

Confira abaixo nota na íntegra

Em referência à matéria publicada no portal, a Prefeitura esclarece que o processo de desapropriação do imóvel com área de 6.675,32 m2, no bairro Parque Alvorada, zona Norte de Teresina, onde a Secretaria Municipal de Educação está construindo um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), ocorreu de acordo com a legislação vigente.

O valor da área desapropriada foi definida em processo legal realizado pela Caixa Econômica Federal, em outubro de 2014, e o pagamento ocorreu somente no ano de 2016.

O Centro Municipal de Educação Infantil Parque Alvorada está em fase de conclusão e irá atender a mais de 300 crianças de dois a cinco anos de idade a partir de 2018.