Brasil

Primeiro caso de morte por raiva humana é confirmada no Recife

A vítima, Adriana Vicente da Silva, de 36 anos, morreu após ser ferida por um gato contaminado com raiva silvestre.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado
  • Foto: DivulgaçãoVítima de morte por raiva humanaVítima de morte por raiva humana

O gerente de Vigilância Ambiental e Controle de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Recife, Jurandir Almeida, confirmou o primeiro caso de raiva humana em Recife em 19 anos. Adriana Vicente da Silva, de 36 anos, morreu na última quinta-feira (29), no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), mas a causa do óbito só foi divulgada nesta segunda-feira (03).

De acordo com informações da Veja, o laudo do exame mostrou que o vírus encontrado em Adriana é de origem silvestre, proveniente de um morcego hematófago, ou seja, que se alimenta de sangue. Jurandir acredita que o gato que transmitiu a doença tenha entrado em contato com um morcego contaminado.

“Fazia doze anos que não tínhamos registro de raiva canina ou felina [ciclo urbano]. Por causa da aproximação da zona urbana e silvestre, casos assim são raros, mas podem acontecer”, afirmou o gerente.

Antes da confirmação, o Centro de Vigilância Ambiental já havia iniciado as medidas necessárias para evitar novos casos da doença. “Em um raio de 1 quilômetro da residência da vítima nós iniciamos a vacinação de cães e gatos em cada domicílio. Também instalamos postos de vacinação em um raio de 5 quilômetros do local e iniciamos uma vistoria para capturar morcegos que estejam escondidos em residências abandonadas, por exemplo, além de orientar a população sobre a importância de vacinar os animais e notificar caso encontrem algum morcego, cão ou gato com características alteradas”, disse Jurandir.

Mais conteúdo sobre: