Piauí

Projeto quer proibir venda de carros movidos a combustíveis fósseis

O projeto traz exceções a determinados tipos de automóveis.

- atualizado

A venda de automóveis movidos a gasolina e outros combustíveis fósseis pode acabar a partir de 2030. É o que determina projeto (PLS 304/2017) apresentado nesta semana no Senado pelo senador Ciro Nogueira (PP-PI). A iniciativa do parlamentar segue a tendência mundial de adoção de medidas progressivas para proteção do meio ambiente e vai pavimentar o caminho para que o Brasil se alinhe aos objetivos sustentáveis de desenvolvimento estabelecidos pela ONU.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ciro NogueiraCiro Nogueira

A proposta institui a política de substituição dos automóveis que usam combustíveis fósseis. Ela estabelece que, a partir de 1º de janeiro de 2030, a comercialização de automóveis novos de tração automotora por motor a combustão, a não ser que utilizem exclusivamente biocombustíveis como etanol, fica proibida em todo o território nacional e, a partir de 2040, fica proibida a circulação desse tipo de veículo.

O projeto traz exceções a determinados tipos de automóveis, como por exemplo os de coleção, os de uso oficial e também aqueles de representação diplomática e de organismos internacionais acreditados junto ao governo brasileiro.

Preocupação Ambiental

Ciro Nogueira destaca ainda que o setor de transportes responde pela sexta parte das emissões mundiais de dióxido de carbono, principal agente do efeito estufa. No mundo todo, 95% da energia utilizada pelos veículos vêm da queima de combustíveis fósseis, fato que já levou países desenvolvidos como Alemanha, França e Reino Unido a discutir novas formas de abastecimento limpas e renováveis.

“O Brasil não pode ficar à margem dessa discussão, já que a indústria automobilística do país tem todas as condições de produzir automóveis tão avançados quanto os usados no exterior”, defendeu o senador.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB