Piauí

Promotora fiscaliza ações da Sesapi para o Novembro Azul

Ela explica que o Programa Nacional de Controle do Câncer de Próstata estabelece que as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde devem realizar ações relacionadas à saúde do homem.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí, por meio da promotora Karla Daniela Furtado Maia Carvalho, instaurou inquérito civil público com o objetivo de fiscalizar as ações da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) em relação às ações para no Novembro Azul de 2017.

Ela explica que o Programa Nacional de Controle do Câncer de Próstata estabelece que as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde devem realizar ações relacionadas à saúde do homem, tanto na realização de exames, mas em campanhas de conscientização.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ministério Público do Estado do PiauíMinistério Público do Estado do Piauí

Na portaria de nº 105/2017, de 27 de julho, ela explica que a “documentação acostada aos autos evidencia a realização de ações pontuais, não apresenta metas nem indicadores que fundamentaram a realização e o impacto que trouxeram na prevenção do câncer de próstata, fato que justifica a continuidade das diligências, para requisitar do gestor estadual o desenvolvimento de ações com planejamento baseado em indicadores e monitoramento dos resultados obtidos”.

Karla Daniela Furtado afirmou que o inquérito civil público vai averiguar informações acerca das ações realizadas pelo Estado do Piauí acerca da integralidade da saúde dos homens no contexto do Novembro Azul.

Ela solicita então que o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, informe sobre o planejamento das ações para o ano de 2017 com apresentação de metas e indicadores, perfil epidemiológico dos municípios, com indicação das ações de educação permanente, capacitação de profissionais de saúde e monitoramento. Assim como também a realização dos exames para diagnóstico do câncer de próstata no Estado.