Política

Robert diz que Mão Santa causou 'verdadeiro massacre' em Parnaíba

"Mão Santa venceu 24 partidos que estavam unidos, que estavam juntos", declarou o deputado.

PRISCILA CALDAS

- atualizado

Para o deputado estadual, Robert Rios (PDT), o candidato eleito a prefeito em Parnaíba, Mão Santa (SD), causou um “verdadeiro massacre” nos demais políticos que disputavam o cargo, no último domingo (2), dia que aconteceu as eleições municipais em todo o país.

Cinco dias antes das eleições, Robert Rios havia declarado ao GP1 que a Prefeitura de Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí, a partir de 2017 estaria sob o comando de Mão Santa, e na noite de domingo (2) a previsão foi confirmada. O candidato foi eleito com 35.585 mil votos, o que corresponde a 45,53% dos votos válidos. Nesta quinta-feira (6), o parlamentar pedetista comentou a eleição e expôs o que, ao ver dele, foi levado em maior consideração para a vitória de Mão Santa.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegador Robert RiosRobert Rios

“Parnaíba é uma cidade grande e tem a mesma repulsa que Teresina tem com o PT. Ele [Florentino Neto] perdeu para o Mão Santa sozinho, que estava sem nenhum vereador e apenas com vinte segundos de propaganda eleitoral. Mão Santa venceu 24 partidos que estavam unidos, que estavam juntos. Foi um verdadeiro massacre”, declarou Robert Rios.

Resultado das eleições em Parnaíba

Encabeçando a coligação “A cidade é o povo”, formada apenas pelos partidos SD e PSL, Mão Santa disputou com o atual prefeito, Florentino Neto (PT), que teve 44,09%; além do ex-deputado estadual Tererê (PSDB), que conseguiu 6,51%, e Gerivaldo Benício (PDT), que ficou com 3,87% dos votos. O vice-prefeito de Parnaíba em 2017 será Marcos Samaronne.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Mão SantaMão Santa

Link do texto:

Robert diz que Mão Santa causou 'verdadeiro massacre' em Parnaíba
http://www.gp1.com.br/noticias/robert-diz-que-mao-santa-causou-verdadeiro-massacre-em-parnaiba-402391.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.