Política

Rodrigo Janot pede novamente ao STF a prisão de Aécio Neves

O pedido foi encaminhado ao ministro Marco Aurélio Mello, que é o responsável pelo processo e foi quem determinou o retorno de Aécio ao cargo de senador, após ele ser afastado.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Rodrigo Janot, procurador-geral da república, ingressou no Supremo Tribunal Federal (STF) com recurso pedindo novamente que seja decretada a prisão do senador Aécio Neves (PSDB), que é acusado de receber propina no valor de R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS.

O pedido foi encaminhado ao ministro Marco Aurélio Mello, que é o responsável pelo processo e foi quem determinou o retorno de Aécio ao cargo de senador, após ele ser afastado. O procurador já havia solicitado a prisão de Aécio, mas o pedido foi negado pelo STF. Ele tenta novamente conseguir a prisão do tucano.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoAécio NevesAécio Neves

Segundo o G1, se o pedido de prisão for negado, o procurador solicita que sejam aplicadas medidas alternativas, como o uso de tornozeleria eletrônica, proibição de contato com os investigados da Lava Jato, entrega do passaporte e até mesmo que seja impedido de entrar no Congresso ou em outra repartição pública. O procurador se preocupa com a interferência do senador, já que quando ele foi afastado do cargo, continuou fazendo articulações.

"Há, em verdade, prova cabal da personalidade audaciosa do agravado e de seu notório desprezo pelas decisões judiciais. Verdadeiro atestado de ineficiência das medidas cautelares diversas à prisão que vigoraram até o advento da decisão agravada, em 30/6/2017 [que derrubou o afastamento]”, destacou o procurador no processo.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoRodrigo JanotRodrigo Janot

Segundo informações do Estadão, o pedido de Janot será analisado após o fim do recesso judiciário. O advogado Alberto Zacharias Toron, divulgou nota, onde afirma que não teve acesso ao processo.

“A defesa do senador Aécio Neves informa que ainda não teve acesso à manifestação do procurador-geral da República, mas segue tranquila quanto à manutenção da decisão do ministro Marco Aurélio que, ao revogar as cautelares impostas contra o senador, promoveu precisa aplicação das regras constitucionais. A renovação de pedido de prisão contra o senador Aécio representa clara e reprovável tentativa de burla ao texto expresso da Constituição Federal, como já afirmou o ministro Marco Aurélio”, afirmou o advogado.