Política

Rodrigo Martins diz que é inconcebível criação de fundo eleitoral

" É um problema a falta de orçamento que já é pequeno e mal gerido pelos governos e ainda tira um pedaço para fazer política", lamentou o deputado.

GERMANA CHAVES

- atualizado

O deputado federal Rodrigo Martins (PSB) foi um dos parlamentares que votou contra a aprovação do fundo bilionário na ordem de R$ 1,7 bilhão para financiar campanhas políticas. AoGP1, nesta quinta-feira (05), ele disse que não aceita o uso de verbas públicas para bancar custos políticos, sobretudo, no momento de tanta crise.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Rodrigo MartinsRodrigo Martins

O piauiense lembrou que já existe um fundo partidário que precisa ser melhor administrado e fiscalizado pelos órgãos habilitados para tal. “Já temos um fundo partidário inclusive, mal prestado contas, mal fiscalizado. Estamos num País que está faltando tudo. A gente chega no Piauí, é e uma situação terrível de insegurança, chega no sistema penitenciário falido como caso do menor na cela de um estuprador. Os municípios reclamando da falta de estrutura para a saúde, na educação. É um problema a falta de orçamento que já é pequeno e mal gerido pelos governos e ainda tira um pedaço para fazer política. Em meu raciocínio isso é inconcebível”, disparou Rodrigo.

Dos dez parlamentares que integram a bancada piauiense, seis votaram a favor: Júlio Cesar Lima (PSD), Iracema Portella (PP), Assis Carvalho (PT), Maia Filho (PP), Marcelo Castro (PMDB) e Paes Landim (PTB). Da ala dos contrários, além de Rodrigo Martins, também votaram em desfavor da proposta: Átila Lira (PSB), Heráclito Fortes (PSB) e Silas Freire (Podemos).