Política

Rodrigo Martins pede prisão de envolvidos no caso dos R$ 51 milhões

“Um absurdo! Precisa apurar a origem desse dinheiro e prender todos os envolvidos!”, sentenciou Martins.

GERMANA CHAVES

- atualizado

O deputado federal Rodrigo Martins (PSB-PI) classificou como “um absurdo” a descoberta de malas e caixas de papelão abarrotadas com a quantia de R$ 51 milhões em um apartamento que seria usado pelo ex-ministro dos Governos Dilma (PT) e Temer (PMDB), Geddel Vieira Lima (PMDB-BA). O parlamentar federal foi categórico em afirmar que é preciso colocar atrás das grandes todos os envolvidos no esquema corrupto.

“Um absurdo! Precisa apurar a origem desse dinheiro e prender todos os envolvidos!”, sentenciou Martins.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Deputado Rodrigo Martins participa do encontroDeputado Rodrigo Martins participa do encontro

Entenda o caso

A Operação da Polícia Federal batizada de “Tesouro Perdido” cumpriu mandado de busca e apreensão nesta terça-feira (05) em um apartamento que seria utilizado por Geddel apenas um “bunker” para armazenamento de dinheiro em espécie. Os valores apreendidos foram levados a um banco para que fosse feita a contagem e depois depositado em uma conta judicial. Sete máquinas foram usadas para a contagem das cédulas que totalizaram R$ 51.030.866,40.

A operação foi deflagrada após desdobramentos de uma outra investigação, denominada “Cui Bono”, sobre fraudes na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal. O ex-ministro Geddel foi vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco entre 2011 e 2013 na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff. Na gestão de Temer, ele atuou como ministro da Secretaria de Governo. Em julho Geddel foi preso após um pedido do Ministério Público Federal, acusado por crimes financeiros e contra a administração pública e hoje, cumpre prisão domiciliar na Bahia.


MAIS NA WEB