Política

Senador Álvaro Dias participa de encontro do Podemos em Teresina

No ato, os juristas Norberto Campelo e Sigifroi Moreno assinaram as fichas de filiação.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

Encontro do Podemos reúne autoridades políticas em Teresina

O senador Álvaro Dias, pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos, participou do encontro do partido realizado nesta segunda-feira (02) em Teresina, na sede da FIEPI (Federação das Indústrias do Estado do Piauí). O evento liderado pelo deputado federal Silas Freire, dirigente da legenda no Piauí, contou também com a presença da presidente nacional da sigla, a deputada federal Renata Abreu, além do ex-jogador Marcelinho Carioca, que preside o Podemos Esporte.

Renata Abreu afirmou que o objetivo do partido é ser uma nova alternativa para os brasileiros. "Nós queremos devolver para os brasileiros o que é deles, que é o poder. Queremos dividir as decisões do país em todos os momentos. Queremos ser uma alternativa de poder em todos os estados brasileiros, buscando candidatos limpos, com história e que possam representar os interesses da população", afirmou.

Segundo o presidente do Podemos Esporte, Marcelinho Carioca, o partido quer mostrar que pode mudar o país. "“Toda vez que venho aqui sou tratado muito bem e agora com o Podemos, que é um partido limpo. A sociedade está cansada e hoje precisa de pessoas sérias, que possam fazer a segurança pública funcionar, a educação funcionar. É inadmissível o Brasil ainda ser a sétima maior economia do mundo. Isso por que os políticos atuais tem apenas a sede do poder e nós temos a sede de mudança”, disse.

No ato, os juristas Norberto Campelo e Sigifroi Moreno assinaram as fichas de filiação a legenda, ambos, com perspectivas de concorrer a cargos majoritários nas eleições de 2018. No caso de Norberto, os encaminhamentos são para que ele se coloque como opção para o Governo do Piauí.

O jurista Noberto Campelo disse que é preciso se fazer menos política e mais gestão. "Eu acho que no momento a maio proposta é não permitir que se faça política com os recursos públicos e que eles sejam aplicados de maneira correta. Precisamos fazer menos política e mais gestão. Nós temos que estimular as pessoas a participar mais da vida pública. Acho que a população tem que acompanhar as administrações públicas. Nós precisamos dar mais transparência para termos gestões mais responsáveis", afirmou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington Dias e Silas FreireWellington Dias e Silas Freire

Durante o evento, o deputado Silas Freire afirmou que o Podemos é só um partido, mas também um movimento. "Esse movimento está lançando o 'Eleja o Piauí'. Se o Piauí precisa ter hidrovia, melhorar estradas, nós não ouvimos isso. Aqui primeiro vem o nome de candidatos e depois vem no Piauí. No caso do Podemos é diferente, primeiro vem o Piauí, depois as eleições. A minha posição é em favor do Piauí", disse.

Silas disse também que pode abrir mão da candidatura em 2018. "Se esse movimento Eleja Piauí, nós encontrarmos uma pessoa com o nome melhor do que o meu eu tenho que abrir. Se for melhor pro Estado ter outro deputado federal que eu possa ajudar, eu farei. Esse é o estado dos meus filhos, a escola deles foi assaltada semana passada. Nós temos a pior segurança dos últimos 30 anos em termos de gestão. Então nós temos que cuidar disso ou teremos que viver em carros blindados", afirmou.

O deputado federal afirmou ainda que gostaria de continuar a alliança com o governo de Wellington Dias. "Eu ajudei o governador ser eleito e ele me ajudou a estar onde estou. O Silas Freire e o grupo político dele é parceiro do Wellington, agora o Podemos é outra coisa. O Podemos está em formação. Apesar de sermos aliados, estão chegando novas pessoas nesse grupo e, se mais tarde eu precisar sair do governo, eu terei que ser democrático. No entanto, não há esse impasse no momento", destacou.

O governador Wellington Dias afirmou que quer continuar com as parcerias do governo para 2018. "Nós temos todo um entusiasmo com essa organização do Podemos no estado do Piauí com a liderança do deputado Silas Freire e de tantos outros líderes estaduais e municipais. É um partido que traz uma proposta nova para o Brasil e tem contribuído no Piauí através desses líderes para o projeto de desenvolvimento do Piauí e com certeza queremos estar aqui trabalhando e contribuindo em parcerias para o fortalecimento também do partido no estado.Eu tenho deixado claro a minha posição de ter deixado os líderes contribuindo com o governo, mas isso dica a critério de cada um", afirmou.

O senador e pré-candidato a presidência da República, Álvaro Dias, afirmou, no entanto, que o partido não deve manter alianças com o PT. "Esse é um momento crucial para a vida do país. Uma fase de transição e de muita responsabilidade. Se a escolha do ano que vem for infeliz, o país vai continuar sangrando e o povo brasileiro vai continuar sofrendo, então é importante essa participação do povo de bem. Nós temos aqui uma liderança expressiva, que é a do deputado Silas Freire e estamos agregando força em outras áreas. Em relação ao PT, eu digo que queremos mudar o Brasil, não desejamos essa aliança e ela certamente não ocorrerá", disse.

A presidente do Podemos Mulher no Piauí, Carla Beger, também compareceu ao evento e disse que quer fazer a diferença. "Eu estou encarando o desafio com muita responsabilidade. Nós sabemos que no momento atual a política está muito desacreditada no nosso país e a gente tem que fazer a diferença. E nós mulheres já fazemos a diferença dentro da nossa casa, pois nós somos muito mais sensíveis em relação as coisas que acontecem em nossas vidas, seja na nossa vida pessoal, seja no trabalho, em qualquer âmbito da nossa vida. E é com essa proposta que eu venho presidir o Podemos mulher. Eu quero fazer a diferença, eu quero que nós mulheres possamos fazer a diferença, que nós possamos nos unir e tornar a política do nosso país diferente", destacou.

*Com informações de Thais Guimarães e Germana Chaves - direto do evento.

MAIS NA WEB