Enviar por e-mail

Enviar notícia por e-mail
Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Os comentários serão incluídos na mensagem

Comunicar erros

Comunicar erro na notícia
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Descreva o que há de errado com esta notícia
16/06/2012 - 19h30
Polêmica

Senador convida Pagot para falar ao Congresso fora da CPI

Para deputado Miro Teixeira, sessão, se acontecer, será aberta ao público.

Imagem: Reprodução / TV SenadoClique para ampliarLuiz Antônio Pagot em comissão do Senado (Imagem:Reprodução / TV Senado)Luiz Antônio Pagot em comissão do Senado
O senador Pedro Simon (PMDB-RS) afirmou que convidou o ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antônio Pagot para dar explicações ao Congresso sobre a influência de Carlinhos Cachoeira no órgão em uma sessão desvinculada da CPI que investiga as relações do bicheiro com políticos e empresários.

Segundo Simon, que não integra a CPI, o convite foi uma alternativa encontrada por alguns parlamentares depois da decisão da comissão de adiar a votação do requerimento de convocação de Pagot. Em entrevistas à imprensa, o ex-diretor do Dnit denunciou uso de caixa dois em campanhas eleitorais por PT e PSDB e apontou influência de Cachoeira na demissão dele. Ele se colocou à disposição para comparecer à comissão.

Uma suposta fraude no Dnit também foi responsável por levar a Controladoria Geral da União (CGU) a considerar inidônea a construtora Delta, também investigada por elo com Cachoeira, e proibi-la de firmar novos contratos com o governo federal.

"Eu conversei com ele, ele disse que as denúncias que fez são verdadeiras, que ele tem muito a falar e que a comissão tem medo. Ele se ofereceu para ir [à CPI]", disse sobre conversa que teve antes da sessão da CPI que adiou a votação. Simon contou que, depois da sessão da comissão, voltou a falar com Pagot, quando o convidou para uma sessão fora da comissão. De acordo com o senador, o ex-diretor do Dnit disse que dará a resposta na segunda (18).

"Acho que se ele vai vir ou não vai depender de até que ponto ele vai querer se contrapor à decisão da CPI", afirmou o senador.

O deputado Miro Teixeira (PDT-RS) contou que discutiu com Simon e com o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) como seria a sessão para ouvir Pagot. Segundo ele, se o ex-diretor do Dnit aceitar, será uma sessão oficial e aberta ao público.

"Será nas dependências do Congresso, uma sessão oficial porque somos parlamentares, mas não seria restrita a membros da CPI. [...] Atingiremos o nosso objetivo e ele o dele. Se ele decidir não falar, aí tem que se adotar a máxima do casamento: cale-se para sempre. [...] Se vier, será recebido como um brasileiro que presta um grande serviço à sociedade."

Curta a página do GP1 no facebook: http://www.facebook.com/PortalGP1

Fonte: G1

Keywords: senador, congresso, dnit, cpi, pedro simon, ex-diretor, luiz antônio pagot, departamento nacional de infraestrutura de transpo


Saiba mais sobre Nacional

Saiba mais sobre Política

Leia também

Avalie:
Média de avaliações:
0 votos
Comente esta reportagem
Comentário
Escreva aqui seu comentário
De onde você é?
Escolha um Estado
Escolha sua Cidade
Quem é você?
Informe o seu Nome
Informe o seu E-mail!

Comentários (1)

  • Leôncio Medeiros Nepomuceno Costa, Cocal-PI disse:
    Deixado em 16/06/2012 às 20h51

    Os membros dessa desastrada CPI, tão bom de criarem vergonha na cara, por ex: como pode haver investigação se pessoas que deveriam serem investigadas, são senadores, Governadores ou deputados, cadê o governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral que está sendo blindado por esse boboca de São Paulo, o VACAREZA, Welinghton Dias do Piauí, teve várias obras da Delta que foram licitadas ou melhor ILICITADAS no governo dele e no de Wilson Martins, essa CPI não vai dar em nada, só vai servir para acobertar a roubalheira do MENSALÃO, foi mais uma estratégia de LULADRÃO e companhia para que seus ROUBOS E ROMBOS não viessem a PÚBLICO no período de ELEIÇÃO, se tirar os ladrões do PSB e do PT da CPI, será obrigado realizar novas eleições para deputados, senadores e governadores,só a POLÍCIA FEDERAL que não sabe o tanto de RATOS que tem essas duas siglas políticas,além do ladrão SÉRGIO CABRAL do RJ.

tempo real


Publicidade