Piauí - Teresina

Servidores do HUT denunciam falta de equipamentos e medicamentos

Em nota, o HUT explicou que "por conta do atraso na entrega de alguns itens, está com a quantidade reduzida de aventais descartáveis (...)".

RAISA BRITO

- atualizado

Servidores do Hospital de Urgência de Teresina denunciaram ao GP1 falta de materiais essenciais como Equipamentos de Proteção Individual (EPI), até mesmo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e capote cirúrgico, que é uma vestimenta que resguarda o corpo do profissional e do paciente. Eles também relatam falta de medicamentos e atrasos no pagamento dos salários.

EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção contra riscos capazes de ameaçar a sua segurança e a sua saúde.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Hospital de Urgências de Teresina (HUT)Hospital de Urgência de Teresina (HUT)

"Isso vem se arrastando há um certo tempo, só que agora o caos tá completo. Em termos de medicamento por exemplo, analgésicos que a gente usa pra ajudar na sedação de um paciente que está na UTI, em ventilação mecânica, um paciente grave que fica tanto sedado como analgesiado, nós não temos, nós estamos sem o principal medicamento que se chama fentanil que é um dos usados, a gente tava usando clonidina que também acabou, morfina, tá muito reduzido. Tem alguns antibióticos que nós precisamos usar, que são de largo espectro, que também estavam em falta e para completar, hoje eu fiquei sabendo que também há falta de EPIs. Já estávamos trabalhando com toucas contadas e hoje os aventais que a gente usa pra evitar propagação de infecção, que são descartáveis, também não têm", desabafou uma servidora que preferiu não se identificar.

Ainda de acordo com a servidora, um grupo de profissionais já está preparando uma carta pra enviar ao Ministério Público denunciando a situação.

HUT

Em nota, o HUT explicou que "por conta do atraso na entrega de alguns itens, está com a quantidade reduzida de aventais descartáveis, porém, o hospital possui aventais de tecido e impermeável que podem ser utilizados para substituir os descartáveis. Quanto aos medicamentos, o HUT possui uma lista de equivalentes para fazer a substituição, caso a farmácia não disponibilize, no momento, a medicação prescrita".

Sobre atraso no pagamento, o hospital informou que "apenas duas enfermeiras substitutas não receberam o salário do mês de fevereiro, pois estavam com as matrículas desativadas desde dezembro de 2016. Os demais casos (gratificações, plantões extras, adicionais noturnos, etc) foram consolidados e enviados a Fundação Municipal de Saúde para serem incluídos na folha do mês de março".

Mais conteúdo sobre: