Política

Silas Freire diz que Câmara não tem moral para julgar Michel Temer

“Não estou julgando se o presidente é culpado ou inocente, quem tem que julgar é o STF, por isso, o meu voto vai ser contra o relatório aqui e favorável ao andamento da denúncia”, afirmou.

RAISA BRITO

- atualizado

A Câmara Federal deve votar, nesta quarta-feira (02), parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que é contrário à admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer pelo suposto crime de corrupção passiva. Para o início da votação é necessária a presença de 342 parlamentares.

Em entrevista ao Programa Agora, da TV Meio Norte, nesta tarde, o deputado federal Silas Freire (Podemos), reafirmou o seu compromisso de votar contrário ao relatório. “Eu vou votar favorável ao andamento do processo, sei que o governo passou um rolo compressor, mas o meu partido não fechou questão, a presidente Renata Abreu ao lado de outro deputado do Rio Grande do Norte fazem um trio comigo que vão votar a favor do andamento do processo, de forma majoritária o partido resolveu votar contra, dar uma chance ao presidente Michel Temer, nós somos contrários, eu acho que o Brasil precisar ser passado a limpo e poderia começar hoje”, declarou o parlamentar.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Silas FreireSilas Freire

Silas, que é suplente, comentou também o fato dos titulares não reassumirem para a votação: “Eu fiquei surpreso porque os titulares não voltaram para votar, estranhei, mas uma estranheza com felicidade porque os titulares não resolveram vir votar e deram essa oportunidade”, afirmou.

O parlamentar ainda fez duras críticas à Câmara: “Eu acho que a Câmara não tem moral de julgar se o presidente da República vai ser processado ou não, a Câmara tema mais de 100 investigados, nós somos legisladores, não somos juízes, quem tem que decidir isso é o fórum adequado que é o STF (Supremo Tribunal Federal) e tenho a certeza que nós precisamos devolver esse Brasil aos brasileiros e só faremos isso com transparência”, disse.

“Não estou julgando se o presidente é culpado ou inocente, quem tem que julgar é o STF, por isso, o meu voto vai ser contra o relatório aqui e favorável ao andamento da denúncia”, finalizou.