Piauí - Teresina

Sílvio Mendes nega que UTI do CIAMCA será fechada 

“Primeiro que não vamos fechar e sim, transferir esses leitos para a Evangelina Rosa que ficará com 40 leitos de UTI", disse Sílvio.

GERMANA CHAVES

- atualizado

O presidente da Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS), o médico Sílvio Mendes prestou esclarecimento ao GP1 sobre as acusações de que os leitos de UTI da maternidade CIAMCA, no bairro Dirceu, seriam fechados. De acordo com o gestor, não haverá fechamento e sim, uma transferência dessas vagas para a maternidade Dona Evangelina Rosa para criar mais UTIS Intermediárias, chamadas de Ucinco (Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional), para ampliar a quantidade de atendimentos intensivos.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Silvio mendesSilvio mendes

“Primeiro que não vamos fechar e sim, transferir esses leitos para a Evangelina Rosa que ficará com 40 leitos de UTI. E as quatro maternidades que somam 17 leitos de tratamento intensivo intermediário passariam a ter 64. Além dos dez leitos no HUT e dos dez no Hospital Infantil. Portanto, seriam 60 leitos de UTI e mais 64 de UTI Intermediária, totalizando 124 espaços para cuidar de pacientes intensivos”, esclareceu Sílvio Mendes.

O presidente da Fundação de Saúde disse ainda que a ampliação de vagas para esse tipo de atendimento intermediário aliviaria a grande demanda para Teresina, que segundo ele, atendente pessoas do interior e de outros estados, como Maranhão.

"Os leitos de UTI hoje disponíveis são mais que necessários para a população de Teresina. O problema é que atendemos o Piauí inteiro, Timon e outros lugares. Mas, as Ucincos teriam a mesma estrutura com médicos, enfermeiros e o que mais precisar, 24 horas todos os dias, com todo suporte de uma UTI normal. A diferença é algum equipamento de respiração que no caso de uma UCINCO precisar a gente coloca”, frisou Mendes.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB