Brasil

Supremo aprova orçamento de 2018 e barra reajuste salarial

Oito ministros decidiram que diante da situação financeira do país não seria sensato estabelecer um aumento.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) se reuniram nesta quarta-feira, 9 de agosto, para tratarem sobre o orçamento de 2018. No encontro ficou definido que não haverá reajuste salarial para os ministros.

Segundo informações do G1, o orçamento de 2018 foi aprovado por 8 votos a 3. Oito ministros decidiram que diante da situação financeira do país não seria sensato estabelecer um aumento. Foram contra o aumento: Cármen Lúcia, Celso de Mello, Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Rosa Weber, Luis Roberto Barroso, Luiz Edson Fachin e Alexandre de Moraes.

  • Foto: Felipe Sampaio/STFMinistros do STFMinistros do STF

Três ministros defenderam um reajuste de 41% para servidores, aprovado em 2015, e de 16,38% para os ministros. Os que votaram a favor foram: Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello e Luiz Fux.

Se o aumento salarial tivesse sido aprovado, isso iria impactar diretamente o salário de outros membros do judiciário, já que ele é usado como um parâmetro. Um ministro do STF recebe R$ 33,7 mil por mês e se fosse concedido o reajuste, o valor teria aumentado para R$ 39 mil. Desde 2015 os ministros não recebem um aumento salarial