Piauí

Suspeitos na morte do cabo Claudemir são investigados pela PF

O material encaminhado para a Polícia Federal foi apreendido pela Polícia Civil quando era feita a investigação sobre a morte do cabo Claudemir.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O juiz da Central de Mandado de Teresina, Manoel de Sousa Dourado, determinou no dia 9 de agosto, que seja encaminhado ao superintendente da Polícia Federal do Piauí, Antônio Tarcísio, o material que mostra indícios de uma suposta fraude no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com a participação da ex- diretora administrativa do Hospital Psiquiátrico Areolino de Abreu, Maria Ocionira Barbosa de Sousa, e Leonardo Ferreira Lima, que foram presos em dezembro de 2016 pela morte do cabo Claudemir de Sousa.

O material encaminhado para a Polícia Federal foi apreendido pela Polícia Civil quando era feita a investigação sobre a morte do cabo Claudemir. Os documentos foram encontrados na residência de Leonardo, onde a polícia descobriu que ele trabalhava como um secretário de Ocionira. No local foram encontrados vários documentos e até mesmo uma agenda com nomes e valores devidos aos dois.

  • Foto: Divulgação/Polícia CivilOcionira e o cabo ClaudemirOcionira e o cabo Claudemir

Também foram encontrados carimbos de vários sindicatos e selos judiciais e cartoriais junto aos documentos. Naquela ocasião, o delegado Gustavo Jung, que presidiu o inquérito do assassinato, afirmou que o material que evidencia a suposta fraude no INSS seria encaminhado para a Polícia Federal.

O assassinato

O cabo Claudemir Sousa foi assassinado com vários tiros no dia 6 de dezembro de 2016, quando saia de uma academia localizada na avenida principal do bairro Saci, zona sul de Teresina. Nove pessoas foram indiciadas por participação no crime, entre eles, Maria Ocionira, como coautora intelectual do assassinato.

O cabo do BOPE estava de casamento marcado com a diretora do Hospital Areolino de Abreu. Já Ocionira mantinha um relacionamento amoroso e profissional com Leonardo. De acordo com a Polícia Civil, o crime teve motivação afetiva e profissional, já que Leonardo não gostava do relacionamento de Ocionira com o cabo e também porque acreditava que Claudemir poderia atrapalhar o esquema de fraudes que os dois tinham.


MAIS NA WEB