Piauí - Teresina

Taxistas ameaçam transportar passageiros a R$ 3,30 em Teresina

De acordo com Pedro Ferreira, os taxistas vão fazer um movimento em frente Strans e esperam ser ouvidos pelo superintendente Carlos Daniel.

BRUNNO SUÊNIO E THAIS GUIMARÃES

- atualizado

Taxistas ameaçam transportar passageiros por R$ 3,30 na Capital

Os taxistas de Teresina se organizaram na manhã desta terça-feira (16), no bairro Monte Castelo, de onde partiram para a sede da Strans, na tentativa de se reunir com o superintendente Carlos Daniel para cobrar uma maior atuação do órgão fiscalizador em relação aos motoristas da Uber na Capital.

De acordo com o Pedro Ferreira, presidente de uma cooperativa de taxis, a categoria está se sentindo prejudicada. “Uma cooperativa tinha 70 mil chamadas ao mês e agora tem 30 mil. Em demissões, são 10 funcionários. O que eu vejo mesmo é essa classe desaparecer. A classe vai desaparecer se a prefeitura não atuar, se o Ministério Público não atuar, pois ou desaparece ou então vai haver um confronto. O estopim da coisa mesmo foi que houve um evento em Teresina, domingo, onde tinha vários taxis em fila, esperando as pessoas saírem do show, e vários carros do Uber do lado. E para contrariar ainda tinha carro da Strans do lado e eles não fizeram nada”, afirmou.

Ainda segundo Pedro Ferreira, os taxistas vão fazer um movimento em frente Strans e esperam ser ouvidos pelo superintendente Carlos Daniel. Caso não haja um diálogo favorável para a categoria, os motoristas de taxis vão passar a transportar passageiros ao custo de R$ 3,30, mesmo valor da tarifa cobrada pelo sistema de transporte coletivo de passageiros na Capital.

“Hoje nós vamos cobrar do superintende essa fiscalização, após a gente ouvir ele e essas respostas não forem satisfatórias, de lá a gente já sai decidido a fazer lotação, cobrando uma passagem de ônibus, uma pessoa a R$3,30 esteja ela [usuário] no Satélite, no Promorar, em Timon [...] A gente sabe que é errado, um erro não conserta o outro, mas o que acontece é questão de sobrevivência. Enquanto eles são [Uber] são 1.200 em menos seis meses nós somos 2.040 em 50 anos, essa é a revolta”, reclamou.

O advogado do Sindicato dos Taxistas, Rafael Machado, afirmou que o sindicato está buscando uma audiência com o prefeito já há algum tempo. “Fizemos um requerimento para que fosse criado um setor específico na Strans para fiscalizar os clandestinos. Essa mobilização é justamente para ser cumprido o requerimento com o pedido de audiência com o prefeito”, completou.

Mais conteúdo sobre: