Política

Temer decide manter todos os ministros citados em delações

Em fevereiro, o presidente afirmou que só iria afastar ministro citado em delação, caso ele fosse denunciado pelo Ministério Público e virar réu na Lava Jato.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

O presidente Michel Temer afirmou que vai manter todos os oito ministros que estão sendo investigados por terem seus nomes citados em delações da empreiteira Odebrecht na Lava Jato.

Para o Palácio do Planalto, uma saída em massa poderia prejudicar a imagem do governo, que nesse momento, procura manter a ordem como tentativa de aprovar a agenda de reformas no Congresso.

"Temer decidiu que não vai demitir ninguém", disse um interlocutor do presidente.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoPresidente Michel TemerPresidente Michel Temer

De acordo com o G1, em fevereiro, o presidente afirmou que só iria afastar ministro citado em delação, caso ele fosse denunciado pelo Ministério Público e virar réu na Lava Jato.

Os oito ministros alvos de inquéritos são: Eliseu Padilha (PMDB; Casa Civil); Moreira Franco (PMDB; Secretária-geral); Gilberto Kassab (PSD; Ciência, Tecnologia e Comunicações); Bruno de Araújo (PSDB; Cidades); Aloysio Nunes (PSDB; Relações Exteriores); Marcos Pereira (PRB; Indústria e Comércio Exterior); Blairo Maggi (PP; Agricultura); Helder Barbalho (PMDB; Integração).

Os ministros negam envolvimento em irregularidades.

MAIS NA WEB