Brasil

Temer nega 'acordão' com Lula e FHC sobre a Lava Jato

O presidente afirmou que esse tipo de acordo é " inviável".

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Em entrevista à rádio Jovem Pan, na manhã desta segunda-feira (17), o presidente Michel negou as acusações de que teria conversado com os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva para costurar um pacto para conter danos da operação Lava Jato.

Ao ser questionado se haveria algum "acordão" com os ex-presidentes, e se o trio já se reuniu para conversar sobre conter os efeitos das investigações, Temer disse que jamais participaria desse tipo de acordo.

"Fazer um acordão para solucionar os problemas que hoje estão entregues ao Judiciário, ao Ministério Público e acabar com o que está aí é absolutamente inviável. Eu não participo, não promovo e jamais fui questionado ou perguntado a respeito disso, se toparia fazer uma coisa dessa natureza", declarou.

  • Foto: Albery Santini/Futura Press/Estadão ConteúdoMichel TemerMichel Temer

Temer disse que a última vez que encontrou Lula foi em fevereiro, quando a esposa do ex-presidente, Marisa Leticia faleceu. Na ocasião, o ex-presidente pediu a ele uma conversa para tratar de reforma política.

"[Na época], ele disse que teríamos de conversar sobre reforma política", disse Temer.

"Se num dado momento disserem 'olha Temer, você passou 24 anos no parlamento, o presidente Fernando Henrique não sei quantos anos, Lula igualmente, vocês não querem trabalhar um pouco na hipótese de uma reforma política?', aí quem sabe [eu participe]. Mas apenas sobre esse tópico, não sobre isso que está acontecendo", completou o presidente.

De acordo com G1,o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso publicou no Facebook, onde nega também que tenha feito qualquer acordo com Temer e Lula. “Não participei e não participo de qualquer articulação com o presidente Temer e com o ex-presidente Lula para estancar ou amortecer os efeitos das investigações da operação Lava Jato. Qualquer informação ou insinuação em contrário é mentirosa”, escreveu.