Política

Temer pede ao STF mais tempo para responder às perguntas da PF

As perguntas foram entregues a Temer nessa segunda (05) e o prazo para responder às questões por escrito termina nesta terça.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Nesta terça-feira (06), a defesa do presidente Michel Temer pediu mais tempo ao Supremo Tribunal Federal (STF) para responder às 82 perguntas formuladas pela Polícia Federal na investigaçãoda qual ele é alvo na Operação Lava Jato.

As perguntas foram entregues a Temernessa segunda (05) e o prazo para responder às questões por escrito termina nesta terça, mas os advogados pediram prorrogação até o fim da semana, na sexta (9) ou no sábado (10). A decisão será do relator do caso no STF, ministro Edson Fachin.

A defesa alega no pedido que é "absolutamente impossível" que o presidente responda aos questionamentos no prazo de 24 horas, estabelecido por Fachin.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoPresidente Temer diz que não renunciará ao cargoPresidente Temer diz que não renunciará ao cargo

De acordo com oG1, a defesa de Temer avaliou como “complexa” a tarefa de responder às perguntas, que exigirão um “grande esforço” do presidente em meio ao cumprimento de uma “carregada agenda”, com compromissos marcados que ocupam 15 horas de seu dia.

“Em face da complexidade e da surpreendente quantidade dos quesitos formulados (82), entende-se ser absolutamente impossível e contrário ao princípio da razoabilidade exigir-se uma manifestação do Sr. Presidente da República no exíguo prazo de 24 (vinte e quatro) horas, lembrando-se que para a sua elaboração não foi consignado nenhum prazo”, diz o pedido, assinado pelo advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira.

"Por todo o exposto, contando com o elevado bom senso e compreensão de Vossa Excelência, o Sr. Presidente da República considera que estará habilitado para a análise e para a deliberação sobre as questões ofertadas até o final da presente semana (dias 9 ou 10)", afirma o advogado na sequência.