Mundo

Temperatura pode subir 0,3ºC por saída dos EUA de acordo

Segundo a ONU, a decisão de Trump é “uma grande decepção para os esforços globais para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e incentivar a segurança global".

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Nessa quinta-feira (01), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a saída do país do acordo global do clima de Paris. A decisão pode causar uma elevação de 0,3ºC nas temperaturas globais até o final do século, no pior dos casos, segundo a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

O diretor do Departamento de Pesquisa Atmosférica e Ambiental da OMM, uma agência da Organização das Nações Unidas (ONU), Deon Terblanche, disse que esse aumento é uma estimativa, já que ainda não foi realizado nenhum modelo climático para medir o impacto da decisão de Trump.

"Isto é 0,3 ºC no aquecimento, devido à saída dos EUA", disse Terblanche em um boletim periódico em Genebra. "Esse é o pior cenário e, provavelmente, não é o que irá acontecer".

  • Foto: AP Photo/Jim Cole, FileFoto de 2015 mostra indústria de energia de combustível fóssil nos Estados UnidosFoto de 2015 mostra indústria de energia de combustível fóssil nos Estados Unidos

Assinado em dezembro de 2015, durante a cúpula da ONU sobre mudanças do clima, o COP 21 prevê que os países devem trabalhar para que o aquecimento fique muito abaixo de 2ºC, buscando limitá-lo a 1,5ºC em relação aos níveis pré-industriais. Ao todo, 195 países signatários se comprometeram a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa.

Segundo a ONU, a decisão de Trump é “uma grande decepção para os esforços globais para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e incentivar a segurança global".

Antonio Guterres, secretário-geral da ONU, afirmou que está confiante de que, apesar da saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris, sociedade civil e empresas americanas permanecerão comprometidas com o meio ambiente.

De acordo com o G1, ao ser questionado se Trump está certo ao dizer que os EUA continuarão a ser o país com a melhor postura ambiental do mundo, Terblanche disse que o anúncio do presidente foi complexo e que exigirá algum tempo para ser analisado.

MAIS NA WEB