Política

TRE desaprova contas do PRP e suspende repasse do fundo partidário

O atual presidente do partido é Laecio Borges, que também era o gestor de 2014.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) decidiu desaprovar as contas do Diretório Regional do Partido Republicano Progressista (PRP) no Piauí, referentes ao exercício financeiro de 2014, e aplicar a suspensão do repasse de cotas do fundo partidário pelo prazo de doze meses.

A decisão é de terça-feira (11) com base em algumas irregularidades que foram encontradas na prestação de contas com a constatação de falhas, omissões ou irregularidades que comprometeram a consistência dessas contas, assim como desconformidade relacionada à movimentação financeira e patrimonial do partido político, entre outras coisas.

  • Foto: Priscila Caldas/GP1Laecio Borges Laecio Borges

Em parecer, o Procurador Regional Eleitoral, Israel Gonçalves Santos Silva, havia também se manifestado pela desaprovação das contas, pois “verificam-se que as várias irregularidades, analisadas em conjunto, comprometem a fidedignidade das contas anuais do partido. De maneira geral, tais situações ensejam a desaprovação das contas, pela grande monta de vícios e pela violação a diversos dispositivos da Resolução TSE 21.841/2004”.

O atual presidente do partido é Laécio Borges, que também era o gestor de 2014. Os demais gestores daquele ano foram Weimar José Neiva de Moura Santos, 1º vice-presidente, Bartolomeu de Moraes Sousa, como 1º tesoureiro, e Carlos José Rocha Sousa, como 2º tesoureiro.

Outro lado

Em entrevista ao GP1, Laécio Borges afirmou que irá reapresentar a prestação de contas e que espera que a decisão seja modificada. “No caso, nós vamos estar reapresentando as contas para termos um parecer favorável. Foi um erro do contador, que não atendeu as formalidades legais, por isso eu até mudei de contador, e nós temos um prazo e vou reapresentar todas as informações”, afirmou.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB